A Organização Mundial de Saúde (OMS) prolongou esta quarta-feira, por mais três meses, a classificação da epidemia de Ébola na República Democrática do Congo (RDCongo) como uma “emergência internacional”, apesar de sinais “extremamente positivos” de melhorias.

“A epidemia deve continuar a ser uma emergência internacional”, declarou à comunicação social o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Gebreyesus, após uma reunião de especialistas sobre a doença, em Genebra, sede da organização.

A epidemia eclodiu em agosto de 2018 na RDCongo, na localidade de Mangina, e afeta as regiões de Kivu-Norte e de Ituri, tendo sido registados cerca de 2.300 mortos.