O estado do Rio de Janeiro, no Brasil, registou a primeira vítima mortal de sarampo nas últimas duas décadas. Um bebé de oito meses morreu a 6 de janeiro, num abrigo no município de Nova Iguaçu, devido à doença, que pode vir a transformar-se numa epidemia se as metas de vacinação não forem atingidas, refere o jornal Globo.

Até 6 de fevereiro, no Rio de Janeiro, foram registados 175 casos, cerca de metade dos registados ao longo de todo o ano de 2019 (333). No ano antes desse, o número de doentes chegou aos 20. De acordo com Edmar Santos, secretário estatual da Saúde, existe um risco iminente de epidemia de sarampo, ao contrário do coronavírus, com o qual os brasileiros estão muito mais preocupadas.

“As pessoas estão muito preocupadas com o coronavírus, que ainda não chegou, e não estão a ir-se vacinar contra o sarampo, que é um risco real”, declarou, citado pelo Globo.

Se as metas de vacinação não forem atingidas, Edmar Santos disse que o número de casos no estado pode chegar aos 10 mil. Apesar do número elevado de doentes no ano anterior, o sarampo não provocou vítimas mortais.