Os "demónios" de Weigl e um anjo chamado Gabriel

, por Bruno Roseiro