Dérbi de futsal entre Sporting e Benfica nos seniores, no Pavilhão João Rocha ou no Pavilhão da Luz, é sinal de grande jogo, de golos (o último foi exceção), de intensidade, de emoção e de “picardias”. Podem ser mais, podem ser menos, mas existem sempre. “Picardias” e cartões, sejam eles amarelos ou vermelhos, mas cartões. No entanto, este sábado foi diferente e o exemplo acabou por chegar dos mais novos (mesmo muito mais novos).

Decorria o encontro de futsal entre os rivais lisboetas quando, nos minutos iniciais da segunda parte, o árbitro assinalou uma grande penalidade favorável aos verde e brancos por mão de um jogador encarnado na área após remate de um adversário. O jovem elemento do Benfica chorou, tentou fazer ver ao árbitro que na verdade tinha levado com a bola não no braço que estava ao lado da cara com o movimento mas na face, e gerou-se uma situação de dúvida sobre a legalidade ou não da infração que tinha acabado de ser assinalada.

Sem VAR nem repetições, Dinis, jogador do Sporting, acabou por resolver a situação e terminar com um cartão branco de fair play: em conversa com o árbitro, explicou que também tinha ficado com a ideia de que a bola embatera na cara do jogador do Benfica, o que levou o juiz a anular o lance e a recomeçar o dérbi com bola ao solo, recebendo depois esse cartão pela atitude e um cumprimento do jogador encarnado que agradeceu o gesto.

De referir que o gesto ganha ainda dimensão tendo em conta o jogo e o momento em causa: o dérbi, a contar para a 13.ª jornada da Série 3 do Campeonato Distrital Sub-11 da Associação de Futebol de Lisboa e com possibilidade de alterar a liderança da prova, estava ainda sem golos a 14 minutos do final da segunda parte, altura em que surgiu essa situação. No final o Sporting acabou por ganhar por 1-0, com um golo nos derradeiros minutos do encontro. O encontro foi transmitido pelo canal do clube, o que ajudou a que o momento se tornasse viral.

Duarte Gomes, antigo árbitro internacional agora comentador, foi um dos primeiros a comentar o momento através da sua página do Facebook. “A imagem sugere a infração, mas na verdade a interseção foi mesmo de cabeça. O jovem do Benfica chorou. E um adversário teve um gesto raro que merece o aplauso e a partilha de todos nós: disse ao juiz que o corte tinha sido mesmo feito com a cabeça. O árbitro teve a humildade de corrigir a sua decisão e exibiu, muito bem, o CARTÃO BRANCO ao craque do Sporting. Estes miúdos são o exemplo perfeito do que devem ser os adultos, nos dias de hoje. Que em véspera de mais uma jornada que se antevê muito quente e de excessos, esta lição fantástica das crianças seja uma inspiração de fairplay para todos nós, adultos”, disse o árbitro lisboeta que foi durante vários anos um dos melhores juízes nacionais de futebol.