A Honda vai introduzir no mercado europeu um novo Jazz, veículo utilitário que disputa o segmento que mais vende no nosso país. A mais recente geração assume uma estética distinta, mas em linha com o que nos tinha habituado a versão anterior, com óbvios ares com os monovolumes para conseguir optimizar o espaço interior, apesar das dimensões compactas do modelo.

Não se conhecem as medidas exactas do novo Jazz, mas a Honda ajudou no cálculo ao revelar que será mais baixo do que a geração anterior, que media 1,52 m de altura, apenas mais 2 cm do que o líder do segmento, o Renault Clio. Quanto ao resto, o Jazz que em breve chegará ao nosso país não deverá divergir muito do comprimento da versão actual, com 4,03 metros, ou da largura, que ronda 1,69 m.

Já em relação à bagageira, a marca anuncia que o novo modelo vai usufruir de uma mala com 298 litros, menos 2 litros do que a versão híbrida comercializada até aqui, mas 56 litros menos do que os Jazz que não eram híbridos, por estes não terem de alojar a bateria extra, que alimenta o sistema, sob o fundo da mala.

18 fotos

Como seria de esperar, o novo Jazz recorre aos mais recentes equipamentos de segurança e conforto, incluindo ajudas à condução e sistemas multimédia. Mas, para os potenciais utilizadores, um dos principais trunfos do Jazz vai passar a ser a sua mecânica que, apesar de ter apenas uma motorização, é híbrida e promete consumos interessantes.

Associado a um motor de combustão a gasolina 1.5, o Jazz e:HEV alia dois motores eléctricos e uma transmissão definida pelo construtor como “de engrenagem fixa”, o que pressupõe ser uma solução similar à utilizada pela Toyota. No acumulado a motorização garante uma potência máxima de 109 cv e um binário de 253 Nm, para o qual muito contribui o motor eléctrico principal, uma vez que a segunda destas unidades deverá estar ao serviço do funcionamento da caixa de velocidades.

4 fotos

O motor eléctrico que reforça a unidade motriz a gasolina é alimentado por uma bateria, cuja capacidade ainda não foi comunicada, conseguindo reivindicar 175 km/h de velocidade máxima e 9,4 segundos para ir de 0 a 100 km/h, tudo com um consumo médio de 4,5 l/100 km em WLTP. A este valor interessante correspondem emissões de 102 g de CO2/km, um valor muito inferior aos 134 g de CO2 anunciados pela antiga geração do modelo japonês, a que corresponde um consumo de 5,9 litros.

Paralelamente ao novo Jazz vai surgir uma versão de aspecto mais radical, apelando aos condutores que têm uma queda pelos SUV. Denominado Jazz Crosstar, esta versão apresenta umas protecções extra nos guarda-lamas em plástico cinzento, algumas alterações na carroçaria e maior altura ao solo. Isto explica o consumo ligeiramente superior, de 4,8 l/100 km e emissões de CO2 a condizer (110 g). Resta agora aguardar pela data expectável da chegada do novo Jazz ao nosso país, bem como o respectivo preço.