Com o objetivo de impulsionar novas ideias de vertente social e ambiental, a Casa do Impacto criou um fundo anual de 500 mil euros para projetos em fase de pré-seed e seed (fases iniciais) e para o desenvolvimento de organizações sustentáveis. O fundo filantrópico +Plus, numa primeira fase, é dinamizado pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, mas estará aberto, no futuro, a outros investidores e parceiros.

Em comunicado, a Casa do Impacto indica que as candidaturas para este fundo podem ser feitas através de um formulário online no site da instituição, entre esta quinta-feira, dia 20 de fevereiro, e 30 de abril. O Plus+ pode receber candidaturas de pessoas ou entidades coletivas de qualquer parte do mundo, desde que a implementação da ideia ou do negócio seja feita em território nacional, “sem prejuízo de internacionalização numa fase mais avançada”.

Na Casa do Impacto começámos com o que achamos prioritário: criar um ecossistema de impacto e estimular a existência de novos players, através da capacitação dos empreendedores para a tração dos projetos. Agora, o ecossistema já está num ponto de maturidade tal que nos permite lançar este fundo para possibilitar a criação de mais negócios e dar escala aos que já existem”, explica Inês Sequeira, diretora da Casa do Impacto, citada em comunicado.

Depois do prazo determinado, as candidaturas vão ser avaliadas tendo em conta critérios como o perfil dos candidatos, a inovação do projeto, a exequibilidade do modelo de negócio e os resultados previstos para a resolução do desafio em causa. “Queremos assumir o verdadeiro significado da ‘responsabilidade social’ e, por acreditarmos nos projetos, queremos acompanhá-los de perto e traçar em conjunto o percurso do negócio numa lógica de corresponsabilização com os empreendedores, assumindo também o risco”, sublinha Inês Sequeira.

Ainda em comunicado, a Casa do Impacto indica que o investimento deste fundo vai ser distribuído de forma diferente em duas vertentes. Na vertente testing, as ideias que ainda não foram iniciadas “deverão contar com o início de implementação no prazo máximo de um ano, a contar da data da atribuição do financiamento”. Nesta fase, haverá um investimento até 20 mil euros. Já na vertente early stage, os projetos devem ter até três anos e o investimento será, no máximo, de 100 mil euros.

As candidaturas selecionadas vão receber apoio durante três anos, podendo ter um período extra de seis meses caso se verifique algum tipo de atraso na conclusão das operações e do plano de investimento.

Fundada em outubro de 2018, a Casa do Impacto é dinamizada pela Santa Casa da Misericórdia e já acolheu mais de 30 startups, todas com o objetivo de ter um impacto positivo na sociedade. A missão destes projetos está alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas.