A EDP Renováveis teve lucros de 475 milhões de euros em 2019, um aumento de 52% em relação a 2018, segundo informação enviada esta quinta-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) portuguesa.

A empresa destaca que no final de 2019 tinha um portfólio de ativos operacionais de 11,4 GW (gigawatt), tendo construído ao longo do ano 888 MW (megawatt) de energia eólica e solar, dos quais 169 MW na Europa e 720 MW nos EUA (Estados Unidos).

O EBITDA (lucros antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) totalizou 1.648 milhões de euros (mais 27% do que em 2018).

A empresa, que tem sede em Madrid, mas que está cotada na bolsa de Lisboa, informa o mercado de que as receitas no ano passado totalizaram 1.824 milhões de euros, um aumento 7% em relação a 2018. A EDP Renováveis aumentou em 13% o número de trabalhadores, de 1.338 em finais de 2018 para 1.566 em finais de 2019.

O total de investimentos líquidos em 2019 foi de 411 milhões de euros, menos 546 milhões do que em 2017, uma diminuição de 57%. Em dezembro de 2019, a dívida líquida totalizava 2.803 milhões de euros, menos 8% do que um ano antes.

Segundo a EDP Renováveis (EDPR), a empresa produziu 30 TWh (terawatt) de energia limpa em 2019 (+6% do que em 2018), o que permitiu evitar a produção de 19,8 milhões de toneladas de emissões de dióxido de carbono (CO2).

A Energias de Portugal, S.A. (EDP) é a maior acionista da EDP Renováveis, que tem a sua sede em Madrid.