O cineasta brasileiro José Mojica Marins, conhecido como Zé do Caixão, autor de mais de 40 filmes, morreu esta quarta-feira aos 83 anos em São Paulo, após uma broncopneumonia, informou uma das suas filhas à imprensa local.

Desde que o artista brasileiro sofreu um enfarte, em 2014, os problemas de saúde foram uma constante, não aparecendo em público há alguns anos. Mojica Marins estava internado em São Paulo desde o dia 28 de janeiro.

Ator, realizador e guionista, Mojica Marins dedicou grande parte da sua carreira ao cinema de terror, deixando uma obra de mais de 40 filmes como realizador, e mais de 60 produções como ator, entre curtas e longas-metragens, documentários e séries. Em 1964, com o filme “À Meia-noite Levarei Sua Alma”, criou Zé do Caixão, personagem que mudaria a sua vida e a sua carreira cinematográfica.

O personagem Zé do Caixão surgiu após um pesadelo que o próprio teve, em que um homem de capa preta o arrastava para um túmulo, conforme Mojica contou em várias entrevistas “Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver” e “O Estranho Mundo de Zé do Caixão” são outros dos filmes onde o seu personagem mais conhecido entra.

Apesar de ter ficado conhecido como o mestre do terror no cinema brasileiro, Mojica trabalhou ainda com outros géneros, como aventura e faroeste. Segundo os media brasileiros, Mojica deixa sete filhos, 12 netos e um bisneto.

O velório será aberto ao público e acontecerá esta quinta-feira, em São Paulo.