A Seleção Nacional que se encontra a disputar os VIRTUS Campeonatos Mundiais de Pista Coberta, na cidade polaca de Torun, teve mais um dia em cheio com a conquista de um total de mais dez medalhas, incluindo os ouros de Sandro Baessa e Afonso Roll, depois de ter iniciado a competição com três ouros e uma prata.

Sandro Baessa foi o grande destaque do dia, conquistando a medalha de ouro na prova de 400 metros com a sua melhor marca pessoal (50.19). Também nesta distância, Carlos Freitas, com 52.28, conseguiu o bronze. De referir que os cinco primeiros classificados bateram os seus registos pessoais, incluindo o segundo classificado, o espanhol Deliber-Rodríguez Ramirez (50.26). Carlos Lima, o outro português nesta final, terminou na quinta posição com o tempo de 53.18, atrás do também espanhol Fernando-Batista Restituyo (53.16).

Também Afonso Roll conseguiu alcançar o lugar mais alto do pódio na prova de 3.000 metros marcha, batendo com o tempo de 14.51,81 (melhor registo do ano) o francês Mathiaus Baudet (15.53,69).

Ainda no setor masculino, Lenine Cunha, que no primeiro dia de competição tinha ganho o ouro no triplo salto e no pentatlo, conseguiu a medalha de prata no salto em comprimento com a marca de 6.03, atrás do francês Florian Lariviére (6.25, melhor marca do ano) e à frente do polaco Tycjan Kozdra. Já Domingos Magalhães, que terminaria a prova do lançamento do peso na sexta posição, chegou ao bronze nos 60 metros barreiras com o tempo de 9.22, atrás do cabo-verdiano Gracelino Barbosa (8.60) e do ucraniano Vasyl Bilenko (8.66). Na mesma distância, Lenine Cunha terminou no quarto posto. Por fim, a estafeta de 4×200 metros constituída por Carlos Freitas, Lenine Cunha, Carlos Lima e Sandro Baessa alcançou a medalha de bronze (1.37,88). A prova foi ganha pela Espanha (1.35,30), com a França em segundo (1.36,46).

No setor feminino, e depois da medalha de ouro alcançada na véspera no triplo salto, Ana Filipe alcançou dois pódios, neste caso com medalhas de prata: no salto em comprimento, fez a melhor marca pessoal do ano com 5.43 mas perdeu para a nova recordista mundial (5.85), a polaca Karolina Kucharczyk (na terceira posição ficou a turca Esra Bayrak, com 5.15); nos 60 metros barreiras o cenário repetiu-se, com o tempo de 10.24 a ser superado por Kucharczyk que bateu o recorde do mundo com 8.99 e com a francesa Virgine Dreux a ser terceira (11.72).

Além de Ana Filipe, também Joana Silva ficou com a prata nos 3.000 metros marcha (18.16,91) atrás da francesa Virgine Dreux (17.36,66). Por fim, Cláudia Santos, que tinha sido quarta classificada no salto em comprimento, chegou à medalha de bronze na prova de 60 metros com o tempo de 8.50, atrás da turca Esra Bayrak (8.16, melhor marca pessoal do ano) e da francesa Nawa Adama (8.24, também melhor registo de 2020).