Os fãs do Batman estão espalhados por esse mundo fora. E os que aliam a paixão pelo Cavaleiro da Noite e, simultaneamente, têm os bolsos fundos, dão-se ao luxo de adquirir uma réplica do seu Batmobile, veículo que nos filmes, além de voar, faz buracos e deita abaixo muros, tudo para proteger o seu dono na perseguição de criminosos. Porém, por ter transgredido a lei que jurou fazer cumprir, o Batman está condenado a andar nos próximos dias de transporte público.

O mais recente Batmobile foi usado no filme Batman vs Superman e aquela que é considerada a melhor réplica que se conhece do modelo, fabricada nos EUA por Fast Boom Pro, foi adquirida por um russo em 2018, animando desde então as ruas de Moscovo. O “brinquedo” tem um aspecto tão impressionante quanto assustador, a quem é atribuído um valor de 850.000 dólares.

Кто из комиксов о Бэтмене руководит Дептрансом, если машину Чёрного рыцаря эвакуировали?

Posted by Антон Шапарин on Monday, February 24, 2020

Se o Batman, especialmente quando está a bordo do seu Batmobile, assusta a generalidade dos meliantes, os seus pergaminhos não parecem importunar minimamente os polícias moscovitas. Apanhado pelas autoridades por circular sem chapas de matrícula, o Batman russo não conseguiu evitar ficar sem carro, que foi rebocado para a esquadra. Os 780 dólares para custear o reboque não devem magoar a carteira do proprietário e muito menos a “estadia” à guarda dos senhores agentes, a 35 dólares por dia. Mais complicado será a legalização de um modelo produzido enquanto protótipo, de que apenas foi fabricada uma unidade.

View this post on Instagram

Cabrio mode On • #fastboompro #batmobile #cabrio

A post shared by Alisher Punk (@fastboompro) on

Esta réplica do Batmobile é um monstro de dois lugares, com 3 metros de largura, tracção traseira e um motor 5.0 V8 que fornece 509 cv, o que promete uma capacidade de aceleração interessante, reforçada pelo rugir do “animal”. Curiosamente, quem fabricou esta réplica, Fast Boom Pro, já produziu outro Batmobile no passado, mais precisamente em 1989. Era idêntico ao que Michael Keaton utilizou enquanto Batman e a última vez que mudou de mãos, obrigou ao pagamento de 1,1 milhões de dólares.