O empresário da área dos combustíveis Cassiano Alves Bandeira, cuja rede integra 150 postos de abastecimento e 850 trabalhadores em Portugal, morreu esta sexta-feira aos 87 anos, anunciou o grupo com o seu nome.

O seu caráter empreendedor e aventureiro, a sua humildade e a proximidade que mantinha com todos, fossem colaboradores, clientes, fornecedores ou simplesmente um cidadão do mundo, permitiram-lhe crescer e ultrapassar sempre todas as dificuldades”, afirma o grupo Alves Bandeira em comunicado.

Nascido no lugar de Esporão, em Góis, em 24 de setembro de 1932, o empresário teve o primeiro posto de abastecimento de combustíveis fósseis neste concelho do interior do distrito de Coimbra, onde fundou a firma Alves Bandeira, em 1975.

Liderou a Alves Bandeira durante mais de 30 anos” e até agora, mesmo “sem um papel ativo na gestão do grupo, nunca deixou a sua rotina”, segundo a nota.

Diariamente, às 7h30, “começava o seu dia de trabalho nos escritórios de Vale de Vaz”, no concelho de Vila Nova de Poiares, junto à estrada nacional 17, também conhecida por estrada da Beira.

Citando declarações públicas proferidas por Cassiano Alves Bandeira, o grupo recorda que se tratou de um conselho de despedida: “Não somos nada sem os funcionários. Fui empregado até aos 26 anos, sei o que é ser empregado e sei o que é ser patrão”.

“Só juntos, patrão e funcionários, conseguiremos continuar este trajeto de sucesso”, defendeu, em 2017.

A Câmara de Vila Nova de Poiares, presidida por João Miguel Henriques, expressou “as mais sentidas condolências” à família do empresário, cidadão honorário do município, que o distinguiu com a medalha de honra.

“Homem simples e amigo, visionário e empreendedor, Cassiano Alves Bandeira marca profundamente a história de Vila Nova de Poiares, da região e de Portugal”, de acordo com uma nota da presidência da autarquia.