As autoridades turcas acusaram esta quarta-feira a Grécia de matar a tiro um migrante que tentava entrar no país e ferir outros cinco, acusação que o governo grego “desmente categoricamente”.

De acordo com o gabinete do governador da cidade turca de Edirne, os militares gregos abriram fogo quando um grupo de migrantes que estava na Turquia tentou forçar a entrada na Grécia, cerca das 11h (8h em Lisboa), tendo atingido um deles no peito.

A Turquia está a divulgar notícias falsas”, assegurou o porta-voz do governo grego, Stelios Petsas. “Nego categoricamente” que a Grécia tenha atirado sobre migrantes que tentavam atravessar a fronteira da Turquia para a Grécia, disse.

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, acusou esta quarta-feira a Grécia de violar tratados internacionais de direitos humanos e de “afundar barcos” e disparar balas reais em refugiados que tentam entrar no país a partir da Turquia.

Migrações. Polícia grega lança gás lacrimogéneo sobre migrantes junto à Turquia

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Os gregos, que usam todos os meios para impedir que os migrantes entrem no seu território — chegando a afogá-los ou matando-os com balas reais – não se devem esquecer de que, um dia, também poderão precisar de compaixão”, afirmou Erdogan num discurso realizado esta quarta-feira em Ancara.

Erdogan lembrou que muitos gregos escaparam do país durante a Segunda Guerra Mundial e pediu ao governo grego que “respeite os refugiados que chegam ao seu território”. O chefe de Estado turco invocou mesmo o artigo 14.º da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que reconhece o direito de qualquer pessoa a pedir asilo em qualquer país, em caso de perseguição.

Os países que fecham as suas fronteiras, afundam barcos de refugiados e forçam-nos a voltar estão a violar” a Declaração, disse.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, e o alto representante da União Europeia para a Política Externa, Josep Borrell, estão esta quarta-feira em Ancara para discutir a crise migratória com o governo turco.

Chanceler austríaco acusa Turquia de atacar a União Europeia e a Grécia com abertura de fronteiras a refugiados