O presidente António Salvador anunciou esta segunda-feira que vai proibir jogadores, treinadores e dirigentes do Sporting de Braga – e ele próprio – de falar sobre arbitragens dos jogos de futebol a partir da próxima época.

Eu tenho uma ideia para o futuro e o Sporting de Braga vai ser, provavelmente, o primeiro clube a assumir isso: na próxima época, vai proibir jogadores, treinadores, colaboradores, dirigentes e presidente, independentemente dos erros que se vierem a cometer, de falar de arbitragem”, afirmou à margem da apresentação do programa das cerimónias do centenário do clube.

António Salvador disse que esta medida vai ser aplicada no clube tendo que conta que “aquilo que se tem visto é preocupante”. “As coisas estão a entrar por um caminho que não sabemos até onde vai chegar e acho que, quanto mais se falar de arbitragem, pior vai ser. As pessoas ficam mais intranquilas, os clubes ficam mais nervosos”, explicou.

O presidente “arsenalista” disse ainda que vai propor que a proibição de comentar arbitragens seja incluído no regulamento interno do clube e que, “se alguém furar essa regra, seja penalizado” e apelou a outros clubes que façam o mesmo.

Gostava que todos os clubes em Portugal dessem pelo menos um ano para se perceber se os árbitros irão ou não ter mais tranquilidade para fazer o seu trabalho ao longo da época. Gostaria que todos os clubes fizessem um pacto e dessem o benefício da dúvida de um ano de tréguas à nossa arbitragem”, disse, deixando o “compromisso de honra” de que o Sporting de Braga vai implementar essa medida a partir da época 2020/21.