A Volvo promete lançar um modelo exclusivamente a bateria por ano, até 2025. Uma promessa que se enquadra no plano de electrificação do construtor sueco e que começará a materializar-se em Setembro, com o início da produção do XC40 Recharge na fábrica de Ghent, Bélgica. É precisamente esta unidade fabril a primeira a receber uma linha para a montagem dos packs de bateria que o construtor sueco adquire a fornecedores como a sul-coreana LG Chem e a chinesa CATL.

Os planos para capacitar unidades produtivas para acomodar células de iões de lítio estendem-se a outros dois continentes, já que também as fábricas de Charleston, na Carolina do Sul (EUA), onde a Volvo produz o S60 para o mercado norte-americano, e de Luqiao (China) vão replicar o exemplo de Ghent. Segundo a Volvo, nos EUA, a construção da linha de montagem está programada para o próximo Outono, enquanto que, na China, o objectivo passa por produzir veículos eléctricos assentes na plataforma CMA, o que inclui modelos das outras marcas do universo Geely que recorrem a esta arquitectura, nomeadamente a Polestar e a Lynk&Co.

O chefe de operações de produção global da Volvo, Geert Bruyneel, realça a importância do investimento em Ghent, por se tratar da primeira linha de montagem de baterias da marca. E, nessa condição, a fábrica da Bélgica permitirá ao construtor sueco aprender e corrigir falhas, se for caso disso, tornando mais fácil às linhas de montagem que se seguem atingir mais depressa a desejada eficiência.

O objectivo do construtor de Gotemburgo é que, até 2025, metade das suas vendas mundiais sejam representadas por unidades com motorizações electrificadas. A variante puramente eléctrica do XC40 estreia a denominação Recharge que, doravante, será aplicada a todos os modelos recarregáveis da Volvo, sejam eles exclusivamente a bateria ou híbridos plug-in.

Saiba aqui como foi o nosso primeiro contacto com a versão mais potente do SUV eléctrico nórdico, capaz de anunciar mais de 400 km de autonomia, 408 cv de potência e tracção integral.