A Tesla ultrapassou outro importante marco na sua (curta) história, ao atingir o volume de produção (e de vendas) de 1 milhão de veículos eléctricos. De recordar que a marca começou a fabricar em 2012, então apenas o Model S, ano em que comercializou menos de 3000 unidades, valor que ultrapassou os 20.000 veículos em 2013 e os 35.000 no ano seguinte, para superar as 51.000 unidades em 2015, beneficiando já das primeiras unidades do Model X.

O construtor americano comercializou mais de 75.000 veículos em 2016, para depois ultrapassar pela primeira vez as 101.000 viaturas em 2017, com a colaboração das primeiras unidades do Model 3, cujo arranque de produção foi algo complicado. Mas, uma vez resolvidos os problemas, a Tesla viu o volume de produção crescer para quase 246.000 unidades em 2018 e 367.500 em 2019, ano em que atingiu o volume acumulado de cerca de 898.000 automóveis.

A apenas pouco mais de 100.000 veículos de ultrapassar o primeiro milhão de modelos fabricados e vendidos, era óbvio que seria o início de Março a permitir superar a fasquia, como veio a ser confirmado pelo próprio CEO, Elon Musk, hoje, 10 de Março. Isto numa altura em que a marca já conta com o Model S, Model X, Model 3 e as primeiras unidades do Model Y, de momento apenas produzido em Fremont, na Califórnia.

Se bem que esta meta seja de particular importância, tanto para a marca como para a mobilidade eléctrica, tudo indica que o próximo milhão será muito mais fácil de superar e o milhão seguinte será ainda mais rápido. Tudo porque a Tesla já “apanhou o jeito” sobre como produzir rapidamente o Model 3 e provou isso mesmo ao antecipar a fabricação do Model Y em quase um ano.

Em 2020, a Tesla espera fabricar 500.000 veículos (S, X, 3 e Y) na fábrica de Fremont, nos EUA, a que se deverão juntar os 150.000 previstos para Gigafactory 3, em Xangai, na China, se não surgirem limitações relacionadas com a quantidade de baterias disponíveis. Especialmente num ano em que o fabricante deverá iniciar a produção dos seus próprios acumuladores, fora da associação que mantém desde 2012 com os japoneses da Panasonic.

Tudo indica que o segundo milhão de veículos será atingido em 2021 e esse será igualmente o ano em que será inaugurada a Gigafactory 4, em Berlim, também ela com a capacidade de produzir, quando estiver em pleno, meio milhão de unidades por ano, sensivelmente o mesmo que a Tesla pretende fabricar na China.