A Volkswagen vai arrancar com a comercialização da variante cabriolet do T-Roc em meados do segundo trimestre, com valores que se iniciam nos 32.750€ do motor 1.0 TSI de 115 cv e que podem chegar aos 43.030€ do 1.5 TSI de 150 cv, acoplado a uma transmissão automática de dupla embraiagem DSG de sete velocidades. Estes preços não incluem pintura metalizada, nem despesas administrativas.

A oferta de entrada equivale ao nível de equipamento Style, mais virado para os detalhes de design, incluindo de série sistemas como o Front Assist e o Lane Assist, cruise control adaptativo, bem como volante multifunções em couro, espelhos retrovisores rebatíveis electricamente e jantes de 17 polegadas, entre outros.

Há ainda outra linha de equipamento, denominada R-Line, que no mercado português encontra-se exclusivamente associada ao quatro cilindros mais potente com caixa automática. Neste caso, tratando-se de uma proposta mais desportiva, há que contar com tudo aquilo que as versões Style oferecem, só que as jantes passam a ser de 18 polegadas, os faróis dianteiros são em LED e o sistema de ajuda ao estacionamento usufrui de câmara traseira. A tudo isto acresce o kit R-Line e um pacote de ajudas à condução mais completo, sendo que no interior o destaque vai para o Digital Cockpit.

24 fotos

O novo SUV descapotável, que é um 2+2, pode ser adquirido numa de oito cores, sempre com capota em lona de accionamento eléctrico. A abertura automática faz-se em 9 segundos e o fecho em 11, a velocidades de até 30 km/h. Outra comodidade deste crossover a céu aberto reside na possibilidade de operar a capota apenas com a chave (sistema keyless) até uma distância de 1,5 metros. De notar que a ausência dos pilares central e traseiro obrigou a um reforço da rigidez torcional e a medidas para garantir a segurança dos ocupantes, mesmo numa situação de capotamento. Nessa circunstância, há dois painéis que se expandem, numa fracção de segundo, atrás dos apoios de cabeça traseiros.

21 fotos

Independentemente da motorização escolhida, a potência é sempre transmitida às rodas dianteiras através de uma caixa manual de seis relações, ficando a DSG reservada ao 1.5 TSI R-Line.  Em termos de prestações, o 1.0 com caixa manual cumpre os 0-100 km/h em 11,7 segundos, podendo atingir 187 km/h de velocidade máxima. Já o bloco mais potente anuncia 9,6 segundos de 0-100 km/h e uma velocidade máxima de 205 km/h. Mas os consumos não reflectem isso, pois enquanto o três cilindros homologa 6,3 l/100 km (143 g/Km de CO2), o 1.5 regista 6,4 l/100 km e 146 g/Km de CO2, cortesia do contributo do sistema de desactivação dos cilindros.