A presidente da câmara municipal de Portimão, Isilda Gomes, em conferência de imprensa esta manhã avançou com a confirmação de dois novos casos de coronavírus na cidade e várias medidas que a autarquia tomou numa tentativa de conter a propagação do surto no concelho.

Portimão conta com mais dois casos confirmados de coronavírus. São dois homens, ambos professores: um marido da professora que deu como positivo na segunda-feira e o outro homem colega dessa mesma professora na Escola Manuel Teixeira Gomes, entretanto encerrada desde segunda-feira.

“Sim, não tenho qualquer problema em confirmar: são os três que vocês já conhecem,  marido da professora que já tinha dado resultado positivo e há agora uma colega dessa professora. Neste momento há cinco casos”, reiterou Isilda Gomes esta manhã.

Recorde-se que tanto esta mulher como também a sua filha menor de 16 anos estão infetadas com o novo coronavírus, ambas internadas em hospitais de Lisboa, e que a este agregado familiar junta-se agora o pai também infetado. Esta família viajou, durante as férias de Carnaval, por todo o norte de Itália. Chegou a Portugal e só o pai é que não foi trabalhar: a professora foi dar aulas, a menor foi às aulas e os seus outros dois filhos também frequentaram as aulas até à última sexta-feira.

Coronavírus. Sobe para 78 o número de infetados em Portugal, 5000 pessoas estão sob vigilância

“Não vão para a praia, parques infantis, jardins públicos, centros comerciais e cinemas”

Antes mesmo de anunciar quais seriam as medidas começou por fazer um apelo: “a comunidade escolar, cujos estabelecimentos de ensino estejam encerrados, permaneçam em casa”, isto depois de surgirem notícias de que os alunos das escolas encerradas ao invés de permanecerem em casa de quarentena estavam a frequentar centros comerciais e espaços públicos da cidade.

Isilda Gomes apelou a que as pessoas adotassem um “recato social” com o intuito de “evitar deslocações desnecessárias para fora do concelho”. Também os estabelecimentos de restauração “devem disponibilizar nos seus espaços sabonete líquido e/ou gel desinfetantes e implementem a máxima distância de segurança possível entre mesas (1 a 2 metros)”. A autarca recomendou também a população em geral a não frequentar a praia, parques infantis, jardins públicos, centros comerciais e cinemas.

Duas escolas e espaços públicos fechados. As medidas para travar o contágio em Portimão

Medida idêntica para os espaços comerciais locais apelando que: “o comércio local admita apenas 10 clientes no mesmo espaço, de forma a garantir a margem de segurança recomendada”, já nas grandes superfícies o apelo é semelhante: “evitar aglomerações de pessoas e garantir que nas linhas de caixa a margem de segurança recomendada está a existir” e pedem que estes espaços disponibilizem desinfetantes para uso público.

Outra das medidas tomadas pela autarquia é que os estabelecimentos de diversão noturna — bares e discotecas — encerrem às 23h00 todos os dias independentemente da programação.

Em relação aos ginásios da cidade, a presidente da câmara apela: “interrompam a sua atividade ou reduzam o número de praticantes para o máximo de 10 pessoas em simultâneo”.

Filipe da Palma/CMP

O mundo não acaba amanhã, não vamos todos a correr para as farmácias. A histeria é o pior que nos pode acontecer” foi assim que a presidente da câmara de Portimão reagiu ao facto das pessoas estarem a deslocar-se em massa até às farmácias para comprar gel desinfetante, máscaras e álcool, produtos esses que esgotaram nas farmácias da cidade. “A seguir ao coronavírus o pior vírus é o alarmismo”, conclui a autarca.

Em relação ao facto do Governo não ter decretado o fecho das escolas, públicas e privadas, de todo o país, Isilda Gomes reitera: “eu não me vou pronunciar sobre isso, a ministra foi muito clara, o papel da saúde pública é esse mesmo. Não vou dar a minha opinião”. Em Portimão estão duas escolas encerradas.

Farmácias de Portimão com gel desinfetante, álcool etílico e máscaras esgotadas