A CP divulgou esta quinta-feira um ajustamento das condições de reembolso de bilhetes, “dado o carácter excecional da situação”, prometendo oferecer “maior flexibilidade aos clientes que pretendam desistir da viagem de comboios Alfa Pendular, Intercidades, InterRegional, Regional e Turísticos”. O problema é que, para conseguir o reembolso, a empresa pública também exige uma presença nas bilheteiras.

No caso das compras feitas online, a CP, contactada pelo Observador, garante que em breve será permitida a devolução do dinheiro sem necessidade de presença física, assim que sejam ultrapassadas questões técnicas.

Em relação aos bilhetes comprados nas bilheteiras, no entanto, a empresa responde que “não há alternativa” — a devolução tem de ser feita de forma presencial nos prazos estabelecidos pela empresa. Ou seja, para evitar pagamento de taxa de reembolso, o pedido deve ser feito até 3 horas antes da partida do comboio.

O reembolso, sem taxas, deve ser solicitado nas bilheteiras mediante apresentação do pedido até 3 horas antes da partida do comboio da estação de origem do cliente”, adiantou a empresa na quinta-feira.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Passado o prazo indicado, aplicam-se as taxas em vigor” e “qualquer bilhete emitido para uma viagem num comboio Alfa Pendular, Intercidades, InterRegional, Regional e Turístico, incluindo um  bilhete já revalidado, pode ser revalidado para outro comboio gratuitamente”. Mas desde que seja “numa bilheteira, independentemente do canal onde foi adquirido”, acrescentou no mesmo comunicado.

Além dos ajustamentos à política de reembolsos, a CP indicou que procura “sensibilização de colaboradores e clientes sobre comportamentos preventivos; reforço da higienização, limpeza e desinfeção dos comboios, especialmente, das superfícies mais manuseadas; reforço da higienização e desinfeção dos filtros de ar condicionado; procedimentos para a identificação, tratamento e encaminhamento de casos suspeitos”.

A empresa diz ainda que também estão em preparação “espaços em locais específicos destinados ao apoio a clientes que apresentem situação suspeita”.