A expansão das linhas Rosa e Amarela do Metro do Porto foi reforçada em 95 milhões de euros, passando a verba total das duas obras de 270 para 365 milhões de euros, divulgou esta sexta-feira o governo.

Em comunicado, o Ministério do Ambiente e Ação Climática esclarece que a decisão foi tomada no Conselho de Ministros de quinta-feira e que a Metro do Porto vai lançar um novo concurso para as empreitadas na quarta-feira, de modo a que ambas “sejam concluídas antes do final de 2023”.

O ministério revela que “todos os sete concorrentes” do concurso público que terminou na segunda-feira “apresentaram valores que ultrapassavam o valor base das empreitadas”, razão pela qual a empresa “solicitou ao Governo um reforço de verba” e o mesmo “foi aprovado”.

Assim, o valor da empreitada para a Linha Amarela passa a ser de 130 milhões de euros, enquanto a da Linha Rosa se fixa em 235 milhões de euros”, descreve a tutela.

O conjunto dos dois projetos representa um “reforço de 95 milhões de euros”, acrescenta.

O ministério refere ainda que o objetivo de ter as obras concluídas antes do fim de 2023 pretende a utilização “em pleno os fundos do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos”.

No concurso aberto no Diário da República a 4 de abril de 2019, a linha Rosa, também designada como Circular (entre a Praça da Liberdade e a Casa da Música, no Porto), tinha como valor base 175 milhões de euros. Teve, por isso, um reforço de 60 milhões de euros.

O prolongamento da Linha Amarela até Vila d’Este, em Vila Nova de Gaia, foi apresentado com um valor base de 95 mil euros, pelo que o reforço foi de 35 milhões de euros. O ministério observa que “a extensão da Linha Amarela permitirá construir um troço com três estações e cerca de três quilómetros, que ligarão Santo Ovídio a Vila d’Este”.

Quanto à Linha Rosa, a empreitada permitirá a construção de mais quatro estações e de cerca de três quilómetros de via, ligando a Praça da Liberdade à Casa da Música e servindo o Hospital de Santo António”, afirma.

As novas linhas do Metro do Porto vão acrescentar seis quilómetros e 10 milhões de novos clientes à rede.

No início de abril de 2020, quando foram lançados os concursos para as duas obras, o ministro do Ambiente apontou para três anos, em 2022, o prazo de conclusão das empreitadas.

O Metro do Porto opera atualmente em sete concelhos da Área Metropolitana do Porto através de uma rede de seis linhas, 67 quilómetros e 82 estações, tendo em 2019 ultrapassado os 71 milhões de clientes, de acordo com dados da empresa.