Um ataque armado contra um camião de carga provocou hoje ferimentos graves numa adolescente no centro de Moçambique, disseram esta segunda-feira à Lusa várias fontes locais.

O camião foi alvejado ao nascer do sol, tendo uma das balas atingido um dos três ocupantes na zona de Matenga, no limite entre os distritos de Nhamatanda e Gorongosa, junto à principal via rodoviária do país, a estrada nacional 1 (N1).

Foram muitos tiros disparados e de repente vi a miúda do meu lado caída e a sangrar muito” contou à Lusa, Amadeu Luís, um dos passageiros, adiantando que o motorista continuou a marcha e transportou a vitima para o Hospital Distrital da Gorongosa.

Após os primeiros socorros, continuou, a vítima terá sido transferida para o Hospital Provincial de Chimoio, para ser submetida a uma cirurgia.

Este é o terceiro ataque armado em cinco dias na mesma zona, provocando um total de oito feridos. Na quinta-feira, 12 de março, um autocarro foi metralhado cerca das 6h locais (4h horas de Lisboa), quando fazia o trajeto Inchope-Gorongosa, junto à N1, ferindo três pessoas, de forma ligeira. Na sexta-feira, um camião foi atingido por balas disparadas duma colina, ferindo quatro ocupantes numa zona próxima de uma posição militar.

A zona tem sido palco de incursões atribuídas pelas autoridades a guerrilheiros da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) naquele troço que liga o Norte ao Inchope, entroncamento com a EN6, movimentado corredor de mercadorias entre o porto da Beira e o Zimbabué. Desde agosto, os ataques já fizeram 20 mortos.

Na zona continuam entrincheirados guerrilheiros dissidentes da Renamo, principal partido da oposição, liderados por Mariano Nhongo, que se rebelou contra o próprio partido alegando discordar das negociações de desarmamento dos guerrilheiros.

A Renamo tem reafirmado o seu compromisso com a paz, classificando Nhongo como um desertor.