A Comissária para os Direitos Humanos do Conselho da Europa, Dunja Mijatovic, alertou esta sexta-feira para o apoio social urgentes às populações mais idosas sujeitas a medidas de isolamento no contexto da luta contra a pandemia Covid-19.

Numa nota difundida esta sexta-feira, Mijatovic, natural da Bósnia-Herzegovina, refere que a pandemia de coronavirus (Covid-19) é especialmente perigosa para as pessoas idosas sujeitas a impactos negativos e desproporcionados nos direitos à saúde e outros direitos fundamentais.

A comissária recorda que os países europeus impuseram medidas especiais de contenção dirigidas em especial aos idosos aconselhando ao isolamento das populações mais envelhecidas, no quadro das medidas contra a propagação da pandemia, sendo que se trata de uma circunstância “que se pode prolongar no tempo”.

Para Dunja Mijatovic, as medidas de isolamento são “absolutamente” vitais e necessárias por causa da saturação e da falta de meios nos hospitais mas o procedimento pode agravar a situação dos mais velhos devido à distância social.

“Muitos idosos enfrentam riscos de pobreza e de exclusão social, assim como podem ocorrer problemas de saúde devido ao isolamento social, incluindo problemas mentais”, refere.

Por isso, os idosos precisam de mais apoio do que nunca e as medidas que estão a ser tomadas devem ter em conta as situações associadas. Fiquei especialmente agrada com a postura da França, por exemplo, que permite a circulação a todos aqueles que prestam ajuda aos idosos”, disse no mesmo documento.

A responsável diz ainda que as sociedades devem alcançar níveis de “contactos solidários entre gerações”, sem colocar em risco as pessoas, e destacou as iniciativas de organizações não-governamentais que encontraram recentemente “formas inovadoras” de contacto através de “encontros virtuais”, com recurso a telemóveis e computadores, e chamadas telefónicas efetuadas com regularidade por voluntários.

“Ao mesmo tempo que a sociedade civil responde rapidamente e de forma generosa ao problema, os governos devem igualmente tomar iniciativas de contacto entre os mais novos e os mais velhos, no contexto da crise provocada pela pandemia”, alerta.

O comunicado nota que a pandemia tem provocado a proliferação de um discurso de ódio contra as pessoas mais velhas e que é difundido através das redes sociais acrescentando que são “chocantes” as manifestações contra os mais velhos em muitas mensagens transmitidas pela internet.

“Esta situação vai obrigar os Estados europeus a adotarem, depois da crise sanitária, novas reformas no sentido dos cuidados prestados aos mais velhos. No centro das reformas deve prevalecer a ideia de um sistema que venha a apoiar os idosos no sentido da inclusão social”, conclui a Comissária para os Direitos Humanos do Conselho da Europa.