Os quatro homens que foram condenados pela violação em grupo de uma estudante de 23 anos, durante uma viagem de autocarro, em dezembro de 2012, em Nova Deli, capital da Índia, foram esta sexta-feira enforcados.

De acordo com a agência de notícias da Índia, citada pela Associated Press, os quatro homens foram enforcados no estabelecimento prisional de Tihar, em Nova Deli.

Em 16 de dezembro de 2012, um grupo de homens alcoolizados que seguia num autocarro violou e espancou brutalmente uma jovem estudante de 23 anos, que depois atirou do veículo.

A jovem sofreu múltiplos ferimentos na sequência da violação e do espancamento com barra de ferro e chegou a ser transferida para um hospital em Singapura, depois de três intervenções cirúrgicas na Índia, mas acabou por morrer poucos dias depois.

O caso gerou uma onda de protestos sem precedentes naquele país e algumas manifestações degeneraram em violência, nas quais houve mortes e feridos.

Em 30 de dezembro desse ano, o então secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou o “crime brutal” de que foi vítima a estudante indiana.

Na ocasião, as autoridades também divulgaram os nomes, as fotografias e as moradas dos violadores na página da polícia de Nova Deli na internet e o departamento contra o crime criou um diretório de violadores condenados, que inclui igualmente os respetivos dados pessoais.

O antigo primeiro-ministro indiano Manmohan Singh também reconheceu, na altura, que as mulheres estavam a ser tratadas de forma desigual e injusta no país, e assegurou que a segurança delas era uma prioridade.

O antigo chefe do governo prometeu ainda rever as leis contra a violação, crime a que atualmente corresponde uma pena máxima de 10 anos de prisão.