O grupo livreiro Waterstones decidiu manter a maioria das suas lojas abertas durante os próximos meses para responder à “procura sem precedentes” de livros na sequência do surto do novo coronavírus. A Waterstones tem mais de 250 livrarias no Reino Unido.

James Daunt, diretor-executivo da empresa britânica, adiantou à revista The Bookseller que as vendas, incluindo as realizadas online através do site, aumentaram 17% nesta quarta-feira. Daunt acredita que é importante que as livrarias se mantenham em funcionamento para poderem fornecer os adultos que ficam em casa e as crianças cujas escolas fecharam.

“Na situação que estamos a viver neste momento, os livros são necessários e, francamente, representam um apoio social para as pessoas que vão passar muito tempo em casa”, afirmou o responsável à mesma revista.

A Waterstones foi fundada em 1982 por Tim Waterstone. Hoje conta com mais de 280 livrarias no Reino Unido e países próximos, como Países Baixos ou Bélgica. A sede da empresa fica em Piccadilly, Londres. É aqui que funcionava a principal livraria do grupo, a maior de Londres, com quatro andares dedicados exclusivamente aos livros.

No Reino Unido, foram confirmados até ao momento mais de três mil casos de Covid-19. O vírus já provocou 144 mortes no país.