A startup portuguesa Barkyn está a disponibilizar uma linha de saúde para cães acessível a toda a gente. Objetivo: auxiliar os donos dos animais de estimação sem que estes saiam de casa, esclarecendo as preocupações que possam ter. O contacto pode ser feito por telefone (912 760 990) ou por email (vetline@barkyn.com).

Barkyn angaria 1,7 milhões de euros em investimento liderado pela Indico

“As famílias estão com os hábitos condicionados e forçadas a permanecerem em casa, com acesso limitado a serviços. A mobilidade dos donos pode estar reduzida devido ao alastramento do coronavírus, mas as preocupações com os seus cães mantêm-se (um estudo TGI da Marktest de 2016 revela que quase 40% dos lares portugueses tinham um cão em 2016)”, lê-se no comunicado enviado pela Barkyn.

Para André Jordão, presidente executivo da empresa, quem detetar algum sinal clínico anormal no seu cão ou precisar de esclarecer alguma dúvida relacionada com a saúde do seu animal pode contactar a linha da Barkyn. “Em tempos difíceis esta é a nossa contribuição, a nossa forma de ajudar a garantir a saúde de todos os cães e famílias”, diz.

Barkyn é a única startup portuguesa em programa da Google em Madrid

Daniela Leal, uma das veterinárias da Barkyn disponíveis para aconselhar e tranquilizar os utilizadores deste serviço, desmistifica o Covid-19 nos animais: “Não existem provas científicas de que o ‌coronavírus afete animais domésticos, pelo que os nossos animais de estimação não são infetados por este vírus nem transmitem a infeção às pessoas”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Contudo, a médica deixa alguns conselhos: “Lavar as mãos sempre que estiver em contacto com o cão, evitar o contacto do cão com pessoas infetadas, cobrir a boca com um lenço de papel quando tossir ou espirrar e evitar que o cão frequente espaços com muitas pessoas”. Por último: “Não abandonem os animais”.

Cão que esteve de quarentena não morreu de Covid-19 mas de insuficiência cardíaca crónica

Os veterinários Barkyn, especialistas em animais domésticos, vão esclarecer dúvidas via telefone ou email até 31 de março, das 10h às 20h, sendo que os horários e datas de atendimento ainda serão reavaliados durante a pandemia.