São impressionantes as imagens da destruição causada pelo sismo que esta madrugada, pelas 6h30, abalou Zagreb e deixou uma rapariga de 15 anos gravemente ferida, depois do colapso do prédio onde morava, no centro da capital croata. “A criança está num estado muito, muito crítico, mas continuamos a fazer tudo o que podemos”, disse Goran Roic, diretor do Hospital Pediátrico Klaiceva, citado pelo Dubrovnik Times. Várias outras pessoas ficaram feridas, mas sem tanta gravidade.

O abalo foi o mais forte no país nos últimos 140 anos

Depois de dias a apelar à população para que se isolasse em casa, depois deste que foi o mais forte terramoto registado no país nos últimos 140 anos, as autoridades croatas tiveram de pedir o inverso; que saísse para a rua mas mantivesse a distância física essencial para evitar a propagação do novo coronavírus. Em todo o país há 235 casos confirmados e já foi registada uma morte.

Em pleno surto de Covid-19, os croatas procuraram refúgio na rua, muitos protegidos por máscaras

“Existem protocolos perante um sismo. Mas quando um sismo acontece combinado com uma pandemia global, é uma situação muito mais complicada”, disse o ministro do Interior Davor Bozinovic. O exército já foi entretanto mobilizado para ajudar a população.

Foram várias as igrejas e edifícios históricos que ficaram danificados

Vários edifícios colapsaram, incluindo igrejas e outros monumentos, inúmeros carros ficaram soterrados, e parte da capital ficou sem eletricidade. Vários vídeos publicados entretanto nas redes sociais atestam a destruição — e a violência do abalo.

A ala da maternidade do Hospital Universitário de Zagreb também ficou destruída. Acabadas de ser mães, várias mulheres tiveram de fugir para a rua, pelo seu próprio pé, com os bebés recém-nascidos ao colo.

Reunida nas ruas de Zagreb onde, nesta altura do ano, as temperaturas mínimas descem abaixo de zero e as máximas pouco passam dos 6.ºC ou 7.ºC graus, a população apressou-se a ajudar.

A fila de equipamentos e incubadoras feita aparentemente por civis de máscaras cirúrgicas no rosto, à saída do hospital e durante a evacuação da maternidade, é impressionante e está a ser partilhada via Twitter.