Os postos de carga para veículos eléctricos e, no limite, até para os híbridos plug-in (PHEV), não abundam nem estão tão próximos das zonas em que circulamos habitualmente quanto gostaríamos, caso o objectivo seja incrementar o consumo de veículos menos poluentes a bateria e recarregáveis. As explicações são várias, desde o custo elevado deste tipo de equipamentos até à dificuldade de instalá-los próximo de local de residência, ou de trabalho, dos utilizadores.

Há uma solução que pode ajudar a resolver o problema, que consiste em utilizar pontos de energia já existentes em todas as cidades, os candeeiros de iluminação, e transformá-los em pontos de carga. Os candeeiros já recebem energia trifásica, que facilmente poderia fornecer potências de 7,4 kW, 11 kW ou até 22 kW, que poderia servir para abastecer os PHEV, numa questão de uma hora ou duas, a 7,4 kW, para depois recarregar uma bateria de 100 kW, as maiores actualmente disponíveis no mercado, em cinco ou seis horas, ou seja, facilmente durante a noite.

Esta proposta é tão simples e fácil de implementar que até chega a “irritar” e foi exactamente isto que levou a cidade de Londres  a abraçar o projecto, com a colaboração de uma série de parceiros tecnológicos, a começar pelos alemães da Siemens. Para ver se tudo funcionava na perfeição, os londrinos implementaram uma fase experimental na capital inglesa, em Sutherland Avenue, numa refinada zona residencial.

Os candeeiros sofreram pequenas alterações, para receberem as tomadas de carga para carros eléctricos e hoje a rua é conhecida como a “Electric Avenue, W9”, ou seja, na área londrina de Westminster. No total, há 24 candeeiros com pontos de carga, com a Siemens a calcular que um veículo eléctrico seja capaz de ser recarregado com até 300 km durante a noite.

Os responsáveis pela cidade pensam instalar, em breve, 1000 candeeiros com estas características até final de 2020, sendo que já existem 296 candeeiros alterados em Londres para abastecer carros eléctricos, além dos 24 da Electric Avenue.