Poucos sítios, assuntos ou tópicos conseguem ter como personalidades comuns Vasco da Gama, D. Manuel I, um ministro francês e Jackie Kennedy. E quem diz poucos é só para não usar o caráter absoluto da palavra nenhum. Ou, pelo menos, só um: a Herdade da Comenda, em Setúbal. Construído à beira do Sado, na Serra da Arrábida, o palácio deixou de receber reis, princesas, políticos e personalidades internacionais durante séculos a fio para ser agora motivo de uma batalha judicial entre duas entidades, no mínimo, improváveis.

A Herdade da Comenda, erguida então nos tempos da ocupação romana, foi colocada à venda em 2009, ano da morte do último proprietário, o construtor português António Xavier de Lima. Só no passado mês de dezembro, quase 11 anos depois, conheceu novo dono: sob o nome de uma empresa, a Seven Properties, que pagou 16 milhões de euros pelo palácio e se comprometeu a preservar as características do edifício e a não alterar os 600 hectares de terreno circundantes. Os problemas começaram logo no final do mês de janeiro, quando a Câmara Municipal de Setúbal ameaçou expropriar os terrenos aos novos proprietários da Comenda devido à utilização pública de um parque de estacionamento e de um parque de merendas.

A Visão, que na altura deu conta do caso, explicou que a autarquia de Setúbal reuniu duas vezes com os novos proprietários do edifício, precisamente para expôr a preocupação com o usufruto público dos dois espaços, mas os problemas mantêm-se. No caso do parque de estacionamento, os novos donos lavraram todo o terreno que dá acesso ao parqueamento da praia de Albarquel, tornando impossível utilizá-lo; no caso do Parque de Merendas da Comenda, onde a autarquia investiu vários milhares de euros em obras no ano passado, os novos proprietários queriam mesmo encerrar o acesso ao público de imediato, tendo depois aceitado estender a permissão pelo menos até setembro, por não ficarem agradados com o barulho nem com o facto de serem feitas várias fogueiras durante o verão.

Foi Lee Radziwill, irmã de Jackie Kennedy, que convidou a antiga primeira dama dos Estados Unidos para passar férias na Comenda

Depois da Câmara Municipal, a Seven Properties enfrenta agora um novo adversário: os escuteiros. Ou, pelo menos, o Agrupamento 415 do Corpo Nacional de Escutas. Depois da aquisição, os escuteiros foram despejados da Casa Abrigo, também conhecida como Casal do Moinho dos Cabeços, espaço que utilizavam há mais de 20 anos. “Desde essa data que não temos como aceder à Casa Abrigo nem aos bens que se encontram no interior. Em resposta ao sucedido e perante o total desrespeito institucional, foi interposto em tribunal no dia 27 de janeiro um procedimento cautelar  de restituição provisória de posse. O mesmo pedido foi, pois, considerado diferido”, contou ao Setúbal Mais o chefe do agrupamento 415, confirmando a primeira vitória judicial contra a Seven Properties e revelando que os novos proprietários destruíram as fechaduras do local em causa depois de uma primeira reunião onde não se chegou a qualquer consenso.

Objeto de uma batalha judicial entre os novos donos e os escuteiros, a Herdade da Comenda começou por pertencer à Ordem de Santiago, sendo depois atribuída a Vasco da Gama em 1495, ainda antes da descoberta do caminho marítimo para a Índia. Foi ainda sob a posse de Vasco da Gama que D. Manuel I, então rei, convocou vários elementos das autoridades municipais de Lisboa para uma “reunião secreta” na Comenda, para fugir ao surto de peste que na altura assolava a cidade. O edifício foi convertido em fortaleza depois de 1640 e seria propriedade da coroa portuguesa até 1848, ano em que D. Maria II vendeu o palácio ao comerciante Agostinho Rodrigues Albino, que tinha o monopólio do tabaco.

Em 1872, Ernest Armand, antigo chefe de Gabinete do ministro dos Negócios Estrangeiros francês que ocupava vários cargos diplomáticos na Europa, comprou a Herdade da Comenda. Armand, que era Conde D’Armand, título que lhe foi concedido pelo Papa Pio IX, usava a casa como retiro de fim de semana e foi o filho, Abel Henri Georges Armand, que acabou por realizar obras profundas no palácio quando herdou a propriedade. Foi já nos anos 60 do século XX que a Herdade da Comenda, um palácio com cinco pisos e 26 quartos, recebeu Jackie Kennedy, antiga primeira dama dos Estados Unidos. Foi em Setúbal e na Comenda que Jackie se refugiou pouco tempo depois do assassinato de John F. Kennedy, em novembro de 1963, convidada pela irmã, Lee Radziwill, que era amiga próxima da família Armand.