O setor do turismo perde diariamente um milhão de empregos no Mundo devido aos efeitos da pandemia do novo coronavírus, segundo dados revelados esta segunda-feira pelo Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC).

Num comunicado, o WTTC alerta que as demissões estão a aumentar na medida em que os países estão a fechar-se para combater o vírus, que provoca a doença Covid-19.

A organização internacional, que representa o setor privado, enfatizou que a crescente perda de empregos afeta todos os níveis da indústria.

“O grande volume de encerramento de hotéis, a suspensão da maioria dos voos, a interrupção de linhas de cruzeiro e o aumento das proibições globais de viagens estão a ter um ‘efeito dominó’ catastrófico que afeta um grande número de prestadores de serviços em todo o mundo”, segundo o WTTC, que lembra que as pequenas e médias empresas (PME) são especialmente vulneráveis”.

Segundo a mesma fonte, o Conselho já está a trabalhar com governos de mais de 75 países “a documentar e a monitorar as melhores soluções que estão a ser implementadas para reduzir o impacto social”.

A organização fez um apelo para que as empresas possam aceder a empréstimos sem juros e isenções fiscais para evitar um “colapso iminente”.

No comunicado, a presidente do WTTC, Gloria Guevara Manzo, destacou que, embora a prioridade dos governos seja manter as pessoas seguras, essa catástrofe global de saúde significa que um milhão de pessoas por dia, apenas no setor de viagens e o turismo estão a perder os seus empregos e a enfrentar uma potencial ruina.

A implacável cascata de perdas de empregos, acrescentou Guevara, “mergulha milhões de famílias em terríveis dificuldades e dívidas” e empresas, grandes e pequenas, são forçadas a abandonar os seus planos de três anos e concentrar-se numa luta pela sobrevivência nos próximos três meses.

“Tememos que esta situação se deteriore, a menos que os governos tomem medidas mais imediatas”, segundo a presidente do WTTC, uma organização que alertou que 50 milhões de empregos em todo o mundo estão em risco imediato e 320 milhões enfrentam o impacto da dramática perda de negócios.

Segundo a última investigação do Conselho, o setor gera 10,4% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial e um em cada 10 dos empregos no mundo.