A Unidade Local de Saúde da Guarda começou esta quarta-feira a utilizar uma unidade móvel para rastreio da Covid-19, que realizou os primeiros testes na aldeia de Parada, Almeida, onde foi detetada uma mulher infetada com o novo coronavírus.

O veículo, cedido pelos Bombeiros Voluntários da Guarda, iniciou a atividade com a realização de testes a cerca de dez moradores da aldeia de Parada que estiveram em contacto com a mulher infetada, uma emigrante em França, que regressou recentemente a Portugal.

Segundo Luís Ferreira, diretor do serviço de pneumologia da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda, a unidade móvel vai fazer diagnósticos da Covid-19, com a realização de zaragatoas, “no domicílio de doentes que têm dificuldade” em deslocar-se ao hospital da Guarda.

Vai também fazer, se for necessário, em lares de idosos ou outras instituições, evitando a deslocação das pessoas ao hospital. E vai também servir para aqueles doentes que estão em isolamento domiciliário, que já estão doentes, mas que estão em casa porque têm boas condições, e aos quais depois é necessário confirmar a cura. E vai ser necessário fazer zaragatoas nos domicílios desses doentes. E esta unidade irá, depois, lá, proceder à realização desse exame”, disse o responsável à agência Lusa.

Com a entrada em funcionamento da “unidade móvel Covid-19”, a ULS da Guarda evita “a deslocação de doentes”, sublinhou.

Em realção ao caso detetado, Luís Ferreira explicou que a maior parte “dos contactos próximos da doente que foi positiva” já efetuaram testes no drive-thru que está a funcionar no quartel dos Bombeiros da Guarda.

Alguns destes doentes, quando há dificuldade em se deslocarem, nós, com esta viatura, iremos lá proceder à realização destes exames”, disse.

O clínico, que também coordena a equipa multidisciplinar para a Covid-19 na ULS/Guarda, referiu que, após a presença na localidade de Parada, a viatura regressa ao quartel dos voluntários daquela cidade e nos dias seguintes “será mobilizada sempre que necessário“.

A “unidade móvel Covid-19” é conduzida por um elemento dos bombeiros e inclui dois enfermeiros da ULS que procederão à realização dos exames, segundo indicação da Direção-Geral da Saúde.

Os Bombeiros Voluntários da Guarda disponibilizaram uma ambulância de socorro pré-hospitalar para a ULS realizar os testes domiciliários ao Covid-19.

O presidente da direção, Carlos Gonçalves, referiu à Lusa que a instituição, para lá da cedência da viatura, também instalou uma tenda para rastreio junto da urgência pediátrica do hospital local e disponibilizou instalações para funcionamento do drive-thru.

Com o veículo, a corporação de bombeiros da cidade da Guarda disponibiliza meios para que os enfermeiros façam “o rastreio junto das populações” e das pessoas que não se podem deslocar ao hospital, disse. “Seremos nós [bombeiros] a levar esse rastreio às populações”, rematou.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou perto de 428 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 19.000.

Em Portugal, há 43 mortes, mais 10 do que na véspera, e 2.995 infeções confirmadas.