O construtor norte-americano de veículos eléctricos está a preparar-se para actualizar, over-the-air, todos os seus sistemas Autopilot, de forma a capacitá-los para a leitura dos semáforos, o que até aqui não era possível. Com esta actualização, a solução semi-autónoma da Tesla dá mais um passo em frente, sendo a única do mercado a conseguir “ver” qual é a cor do semáforo e proceder de acordo com ela, travando ou acelerando, consoante o caso.

Até agora, a Tesla conseguia gerir, como nenhum outro fabricante de automóveis, o trânsito em auto-estrada, mantendo-se na sua faixa de rodagem, respeitando a velocidade determinada pelo condutor e, até, desviando-se quando um condutor distraído invadia a sua faixa de rodagem. Além disto, se a navegar em Autopilot, era possível ultrapassar o carro da frente se este rodava mais devagar, depois de verificar que estavam reunidas as condições de segurança. E, quando se aproxima uma saída da auto-estrada, reduzir a velocidade para a adaptar à curva que se aproxima.

A nova actualização permite aos Tesla lidar melhor com as vias rápidas em zonas urbanas, em que os semáforos são uma constante, e até mesmo com o trânsito citadino. Com esta mais esta evolução do Autopilot, os modelos da Tesla conseguem agora lidar com semáforos, bem como sinais de Stop e cruzamentos, situações habituais em meio urbano.

Para exemplificar como tudo funciona, a Tesla mostrou a nova “habilidade” do Autopilot num Model 3, equipado com o hardware inerente ao package Full Self Driving, ou condução autónoma total, em português.