A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) vai reforçar em 250 milhões de euros cada leilão de médio e longo prazo em 2020, acelerando a execução dos financiamentos, foi esta terça-feira divulgado.

“No decorrer do ano, o IGCP irá aumentar o montante de emissão de Obrigações do Tesouro (OT), procedendo ao acréscimo de 250 milhões de euros por leilão, ao mesmo tempo que irá acelerar a execução do programa de financiamento de médio e longo prazo”, pode ler-se num documento que ajusta o programa em resposta ao acréscimo de financiamento necessário para 2020, causado pela pandemia da Covid-19.

Nos próximos três meses, o IGCP “prevê emissões de OT através da combinação de sindicatos e leilões, sendo esperadas colocações de 1.250 a 1.500 milhões de euros por leilão”, pode ler-se na nota.

A agência presidida por Cristina Casalinho dá ainda conta que “o financiamento líquido resultante da emissão de Bilhetes de Tesouro (BT) registará um acréscimo de 1,3 mil milhões de euros (projeção inicial) para 3,1 mil milhões de euros”.

Neste tipo de financiamento de curto prazo, de três a onze meses, a data indicativa para o primeiro leilão é 15 de abril de 2020, seguindo-se 20 de maio e 17 de junho.

“O IGCP atualizará o programa financiamento sempre que tal se justifique em função dos desenvolvimentos”, pode também ler-se no documento, podendo também “introduzir ajustamentos às presentes linhas de atuação”.