Os utentes do lar Vida Nova, em Estarreja, onde se verificou a morte de uma idosa associada à covid-19, vão ser submetidos hoje a testes para saberem se estão infetados com o novo coronavírus, informou a autarquia.

“Atendendo ao dramatismo e à situação complicada, vamos ter hoje mesmo os testes feitos por uma equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica que vem diretamente de Lisboa com kits do Instituto Ricardo Jorge”, disse à Lusa o presidente da Câmara de Estarreja, Diamantino Sabina.

O autarca referiu que esta ação será coordenada pela autoridade de saúde, adiantando que também está em vias de chegar ao lar uma médica de saúde pública e uma equipa de auxiliares da Segurança Social que deverão entrar ainda esta terça-feira em funcionamento.

As medidas devidas estão a ser tomadas por quem de direito que é a autoridade de saúde. Não sabemos o nível de infeção. Esperemos que se vá a tempo para salvaguardar a grande maioria dos utentes que lá estão”, afirmou Diamantino Sabina.

Esta terça-feira foram transportados para o Hospital de Aveiro mais dois idosos desta instituição, por suspeita de estarem infetados com o novo coronavírus. A estes juntam-se outros dois utentes que já estavam internados, um dos quais testou positivo para a Covid-19, e uma idosa que morreu na madrugada de segunda-feira.

Há ainda nove funcionários desta estrutura residencial para pessoas idosas situada em Pardilhó que estão infetados com o vírus da Covid-19, encontrando-se em casa a receber tratamento.

Na instituição permanecem 23 utentes à espera de fazer os testes para saber se estão ou não infetados.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de 750 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 36 mil. Depois de surgir na China, em dezembro de 2019, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Portugal regista esta terça-feira 160 mortes associadas à Covid-19, mais 20 do que na segunda-feira, e 7.443 infetados (mais 1.035), segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 2 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 0h de 19 de março e até às 23h59 de 2 de abril. Além disso, o Governo declarou no dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.