Letónia, Luxemburgo e Japão juntaram-se à lista de países que responderam de forma positiva ao pedido de ajuda feito por Espanha à NATO na sequência da pandemia da Covid-19, indicou esta quarta-feira o chefe de Estado-Maior da Defesa espanhola.

Numa conferência de imprensa, o general Miguel Villarroya referiu que estes três países (Letónia e Luxemburgo na qualidade de membros da Aliança Atlântica e o Japão que tem o estatuto de “parceiro global” da NATO) responderam positivamente ao apelo espanhol, sem indicarem, no entanto, que tipo de material e de equipamento sanitários poderão enviar. Esta futura ajuda a Espanha, um dos países europeus mais afetados pela pandemia provocada pelo novo coronavírus, irá juntar-se aos materiais e equipamentos já enviados, entretanto, pela República Checa e pela Turquia.

Um avião militar de carga turco aterrou esta quarta-feira na base aérea de Torrejón de Ardoz (Madrid) com 250 mil máscaras de proteção, 750 óculos de proteção, 2 mil fatos de proteção e mil litros de gel hidroalcoólico, fabricados em instalações militares na Turquia. Antes, e também ao abrigo do pedido espanhol à NATO, a República Checa já tinha doado 10 mil fatos de proteção para os profissionais de saúde envolvidos na luta contra o novo coronavírus em Espanha.

Espanha registou, até esta quarta-feira, 102.136 pessoas infetadas com o novo coronavírus, totalizando 9.053 vítimas mortais, com um novo recorde de 864 no último dia, segundo a última atualização das autoridades sanitárias espanholas.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou perto de 866 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 43 mil. Dos casos de infeção, pelo menos 172.500 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com mais de 468 mil infetados e mais de 31 mil mortos, é aquele onde se regista o maior número de casos.