A Indonésia registou esta quinta-feira mais 113 novos casos de Covid-19 e mais 13 mortes relativamente às últimas 24 horas, segundo a agência Reuters, o que dá um total de 1.790 casos no país e 170 mortes. Estes dados colocam assim o país em segundo lugar ao nível de mortes pelo novo coronavírus na Ásia, ultrapassando a Coreia do Sul (169 mortes) e ficando apenas atrás da China, onde morreram mais de 3 mil pessoas infetadas com Covid-19.

O caso da Indonésia é particularmente preocupante porque os números reais podem ser bastante superiores aos números oficiais. De acordo com epidemiologistas ouvidos pela Reuters, há poucos testes no país, o que pode comprometer a contagem de casos. Um modelo matemático do Instituto de Medicina Tropical de Londres coloca o número de casos no país entre os 22 mil e os 37 mil, enquanto que outro da Universidade de Oxford estima que podem existir quase 80 mil casos na Indonésia.

Em apenas um mês desde que surgiu o primeiro caso, o país já registou mais mortes por Covid-19 do que registou pela gripe aviária ao longo de quase 20 anos, como relembra o Jakarta Post. O local mais afetado é a capital, Jacarta, onde se registam 897 casos e 90 mortes até ao momento.

A situação pode agravar-se nos próximos meses, devido ao Ramadão, cujo final calhará este ano no fim do mês de maio. Naquele que é o país com maior população muçulmana do mundo (225 milhões de pessoas), há receios de que as viagens associadas ao tempo de festas possa agravar o surto no país. Por essa razão, o governo do Presidente Joko Wodido anunciou que irá dar apoio financeiro às famílias com rendimentos mais baixos como incentivo para não saírem da capital, Jacarta.