Com mais de 13 mil mortos, Itália continua a ser o país com mais óbitos durante a atual pandemia do coronavírus, mas, apesar disso, todos os dias se afasta do pico de 21 de março, data em que registou o maior número de novos infetados no país. Por isso mesmo, esta quinta-feira, a imprensa italiana sublinha aquilo que são as boas notícias: menos pessoas hospitalizadas e menor percentagem de testes positivos. 

Segundo o La Reppublica, apenas 11% das pessoas testadas acusaram SARS-CoV-2. E também o número de doentes curados está em tendência positiva, sendo já 18.278 os pacientes curados.

Os dados da Proteção Civil apontam para um acumulado de 115.242 infetados (mais 4.668, na véspera o aumento tinha sido de 4.782 ) e para mais 760 novas mortes em 24 horas, números ligeiramente superiores aos da véspera (727). No total, o país conta com 13.915 vítimas mortais, o valor mais alto em todo o mundo.

Pico pode ser esta semana, diz OMS. Itália ainda tem 57.521 casos ativos, mas já foi ultrapassada pelos Estados Unidos

“Atualmente, temos 83.049 pessoas positivas em Itália, um aumento de 2.477 pacientes em relação a ontem. Dos positivos, 4.053 estão em terapia intensiva, 28.540 estão hospitalizados com sintomas, 50.456 (61% do total) em isolamento domiciliar, com poucos ou nenhum sintoma. Portanto, o número de pessoas hospitalizadas diminuiu. Infelizmente, houve 760 novos falecidos. Até agora, os curados são 18.278, mais 1.431”, anunciou Angelo Borrelli, da Proteção Civil, no briefing diário.

Apesar de ainda haver muitas mortes e casos positivos a lamentar em Itália, os números continuam a descer em relação ao pico atingido a 21 de março, data em que registaram 6.557 novas infeções. Essa marca não voltou a ser ultrapassada, e 12 dias depois, apesar de a queda não ser constante e ter havido altos e baixos, o número de novos casos positivos é de 4.668 (na véspera tinham sido 4.782).

De 21 de março para cá, o valor mais baixo de novos casos aconteceu a 30 de março, com registo de 4.050 novos casos positivos.

No que toca a mortes, a tendência de queda ainda não é tão evidente e no mais recente balanço da Proteção Civil, há até um ligeiro aumento em relação aos números da véspera: contaram-se mais 760 óbitos, quando na véspera tinham sido registados 727.

O pico de mortes foi a 27 de março, com 919 óbitos registados, e desde há 5 dias que esse valor não voltou a ser atingido.

Os números de Itália

  • Total de infetados: 115.242
  • Casos ativos: 83.049
  • Total de mortos: 13.915
  • Recuperados: 18.278