O ministro da Saúde de Israel, Yaakov Litzman, e a mulher estão infetados com o novo coronavírus, confirmou o Ministério da Saúde do país esta quinta-feira. Litzman, de 71 anos, irá agora ficar de quarentena. Todos aqueles com quem teve contacto ao longo das últimas semanas devem ficar em isolamento preventivo, incluindo o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu.

O casal está “a ser tratado de forma adequada e está em isolamento, de acordo com as orientações do Ministério da Saúde”, pode ler-se no comunicado divulgado pela tutela e citado pelo Times of Israel.

Isto significa que o líder da Mossad (serviços de informação), Yossi Cohen, e o líder do Conselho Nacional de Segurança, Meir Ben Shabbat, irão ficar em isolamento preventivo, relembra o Haaretz, já que estiveram com Litzman recentemente.

O mesmo jornal aponta que Litzman tem tido reuniões com o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu. Este  acabou de sair do isolamento preventivo em que esteve nas últimas duas semanas, depois de uma conselheira sua ter contraído a doença. Contudo, um dia depois do fim desse auto-isolamento, Netanyahu voltará a ficar isolado, como medida de precaução.

Yaakov Liztman, do partido ultra-ortodoxo Judaísmo Torá Unida, tem sido criticado por ter resistido a ordenar a proibição de ajuntamentos e o fecho de sinagogas, “colocando os interesses da comunidade ortodoxa à frente dos do público em geral”, como escreve o Times of Israel. Neste momento, porém, a grande maioria dos israelitas está confinada em casa, por ordens entretanto impostas pelo Ministério da Saúde.

Israel tem neste momento mais de 6 mil casos confirmados de infeção por Covid-19. Ao todo, 26 pessoas já morreram.