Nove membros não permanentes do Conselho de Segurança (CS) da ONU, por iniciativa da Alemanha, solicitaram esta quinta-feira uma reunião deste organismo com o secretário-geral da ONU António Guterres para abordar a pandemia de Covid-19, referiram fontes diplomáticas.

Após a fulgurante propagação em fevereiro da pandemia pelo mundo, o CS nunca mais se reuniu sobre esta questão nem adotou declarações ou resoluções, apesar de diversas tentativas.

Atualmente existe um projeto de resolução apresentado pela Tunísia destinado a promover a ideia de um cessar-fogo mundial, enquanto os cinco membros permanentes do Conselho (Estados Unidos, China, Rússia, França e Reino Unido) debatem um projeto francês similar, mas sem resultados até ao momento.

Os membros não-permanentes do Conselho — que rejeitam a ideia de um estatuto menor e preferem ser designados “membros eleitos” — manifestam crescente impaciência pelas recorrentes divisões que opõem os EUA à China, e as reticências de Pequim, ou Moscovo, de levar ao órgão uma questão dominada pela saúde e que não considera ameaçadora para a paz e segurança no mundo, indica a agência noticiosa AFP.

Os nove países pediram uma reunião do CS, para além da Alemanha, são a República Dominicana, presidente em exercício da instância em abril, Estónia, Indonésia, Níger, Vietname, Tunísia, São Vicente e Granadinas e a Bélgica, segundo os diplomatas.

O número de nove (em 15 membros) é o mínimo exigido para evitar a rejeição de um pedido de reunião no decurso de um eventual voto de procedimento que pode ser exigido que se oponha à realização da sessão.

A África do Sul, o último país não-membro permanente do Conselho de Segurança, não se juntou ao pedido.

A iniciativa consiste “num pedido para uma videoconferência à porta fechada”, acrescentou um diplomata, ao precisar que não implica uma “reunião urgente”.

A data da sessão ainda não foi fixada, dependendo da agenda de António Guterres, concluiu a mesma fonte.