O Tribunal Regional de Bissau condenou a penas entre os quatro e os 16 anos de prisão os 12 detidos no âmbito da maior apreensão de cocaína na Guiné-Bissau, disse esta sexta-feira à Lusa fonte judicial.

O julgamento das 12 pessoas detidas na maior apreensão de cocaína na Guiné-Bissau decorreu em janeiro em Bissau, e a sentença foi conhecida na quinta-feira.

No âmbito do processo foram constituídos arguidos 12 pessoas, nomeadamente sete guineenses, três colombianos, um mexicano e um de maliano, continuando em fuga um guineense e um mexicano para quem foram emitidos mandados de captura internacional.

O guineense e mexicano em fuga, considerados os líderes da rede, foram condenados a 16 anos de prisão e os restantes a penas entre os quatro e os 14 anos.

Os 12 condenados foram detidos no âmbito da maior apreensão de cocaína feita no país, que decorreu em setembro de 2019, que ficou conhecida como operação “Navarra”.

Ao todo foram apreendidos 1.869 quilogramas de cocaína.

Em novembro de 2019, o Tribunal Regional de Bissau condenou a penas entre os 14 e 15 anos de prisão três pessoas detidas no âmbito da operação “Carapau”, que culminou com a apreensão de 789 quilogramas de cocaína, em 08 de março.