O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) entrou esta semana para o índice do Mercado Sustentável de Títulos, ao colocar na bolsa de Londres a emissão de 3 mil milhões de dólares, considerada um “marco histórico”.

“Estamos orgulhosos de anunciar que a nossa primeira colocação na bolsa de Londres é um título social”, comentou o presidente do BAD, Akinwumi Adesina, acrescentando que “é apenas o princípio do fortalecimento da relação entre o BAD e a bolsa londrina”.

Esta semana, o BAD fez a maior emissão de dívida da sua história, angariando 3 mil milhões de dólares (2,77 mil milhões de euros) nos mercados financeiros, cujos títulos ‘Combate à Covid-19’, com uma taxa de juro anual de 0,75%, estão a partir de agora disponíveis para serem transacionados no mercado secundário através da bolsa de Londres e depois canalizados para ajudar os países africanos no combate ao novo coronavírus.

“Vamos mobilizar tudo o que conseguirmos dos mercados capitais para combatermos a propagação do novo coronavírus em África”, acrescentou o banqueiro, numa nota enviada à Lusa.

Apesar de ser a maior emissão de títulos da história do BAD, esta não foi a primeira vez que esta instituição multilateral financeira lançou títulos sociais, assim chamados por terem como destino uma preocupação social ou um propósito de investimento em áreas consideradas prioritárias para o desenvolvimento.

“A atividade anterior do Banco no mercado dos títulos sociais tinha sido usada para financiar a construção de hospitais, aumentar o acesso à saúde e a serviços de saúde, fortalecer os sistemas de saúde e garantir acesso melhorado a água e saneamento básico, e a criação de empregos no continente” africano, lê-se na nota.

A administração da bolsa londrina anunciou que estes títulos ficaram isentos do pagamento da taxa de entrada em mercado por um período de três meses, sendo parte do esforço para angariar verbas para combater a propagação da covid-19 no continente africano.

“Damos as boas-vindas ao primeiro título do BAD a ser transacionado no nosso mercado e apoiamos o banco no seu esforço vital para mitigar o impacto da covid-19 em África”, disse o presidente da bolsa de Londres, Nikhil Rathi, citado no comunicado.

“Este título salienta o importante papel que os títulos ligados a motivações sociais ou de sustentabilidade podem ter na canalização dos fundos para esses países, setores e pessoas que são fortemente afetadas pela pandemia”, acrescentou.