O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, informou este sábado que falou com o rei de Espanha e que Felipe VI lhe transmitiu “o reconhecimento pela posição tomada pelo primeiro-ministro português”, António Costa, na União Europeia, na sequência do discurso do ministro das Finanças dos Países Baixos.

No dia 26 de março, após uma reunião por videoconferência do Conselho Europeu, António Costa considerou “repugnante” o discurso do ministro das Finanças holandês, Wopke Hoekstra, que sugeriu que a Comissão Europeia devia investigar países como Espanha que afirmam não ter margem orçamental para lidar com os efeitos da crise provocada pela pandemia da Covid-19. No dia seguinte, o Presidente da República declarou-se “solidário” com a indignação manifestada pelo primeiro-ministro português, embora referindo que não tinha acompanhado o que se passou.

De acordo com uma nota divulgada este sábado no portal da Presidência da República na Internet, Marcelo Rebelo de Sousa “falou esta manhã longamente ao telefone com o rei Felipe VI de Espanha, tendo abordado a situação atual nos dois países face à pandemia do Covid-19 e as perspetivas de evolução, nomeadamente também da situação económica e social”.

“O rei de Espanha sublinhou o reconhecimento pela posição tomada pelo primeiro-ministro português e ambos os chefes de Estado referiram a importância fundamental da solidariedade no seio da União Europeia”, lê-se na mesma nota. Por sua vez, “o Presidente da República elogiou o papel que o rei Felipe VI tem tido na coesão e na confiança dos espanhóis no futuro”, e ambos os chefes de Estado “referiram a colaboração estreita entre os dois países ibéricos”.