Dez dias depois de ter acusado positivo para a Covid-19, o primeiro-ministro britânico foi hospitalizado na noite deste domingo por conselho do seu médico. O motivo? Febres altas e “sintomas persistentes” da doença, segundo anunciou o porta-voz do governante.

Por conselho do seu médico, o primeiro-ministro foi internado hoje [domingo] para realizar testes no hospital”, explicou.

Esta foi, como explicou, uma medida de precaução. Segundo a Sky News, o primeiro-ministro deslocou-se até a um hospital público, em Londres, sem precisar de uma ambulância, por volta das 20h00 da noite deste domingo.  Boris Johnson vai passar a noite no hospital, avança a CNN, mas fonte de Downing Street já veio dar a garantia de que continuará ao comando do governo, escreve o The Guardian.

Entretanto, e já depois de Robert Jenrick, membro do governo britânico, ter garantido ao The Guardian que Boris Johnson será capaz de “gerir o país mesmo a partir da cama do hospital”, o próprio primeiro-ministro do Reino Unido recorreu ao Twittter para garantir que está “bem disposto”. “Ontem à noite, a conselho do meu médico, fui internado para fazer alguns exames de rotina, já que continuo com sintomas de coronavírus. Estou bem disposto e continuo em contacto com a minha equipa, enquanto trabalhamos juntos para lutar contra este vírus e manter toda a gente a salvo”, escreveu Johnson, agradecendo ainda aos profissionais de saúde do serviço nacional de saúde britânico.

Ainda de acordo com o The Guardian, caso Boris Johnson se veja impedido de continuar a governar já haverá solução: o ex-ministro para o Brexit Dominic Raab. Raab já foi também testado à Covid-19, depois de apresentar alguma tosse, mas com resultado negativo.

Quando, há 10 dias, Boris Johnson anunciou, num vídeo que publicou no seu Twitter a 27 de março, que estava infetado, adiantava também que tinha sintomas ligeiros, como febre e tosse. “Vou ficar a trabalhar a partir de casa e em isolamento — que é o deve ser feito. Mas não se preocupem porque, graças às maravilhas da tecnologia, vou estar em contacto com a minha equipa para liderar a luta nacional contra o novo coronavírus”, acrescentava.

Ainda na quinta-feira, o primeiro-ministro foi fotografado à porta do número 10 de Downing Street a aplaudir os profissionais de saúde. No dia seguinte, o seu sétimo dia de isolamento, o recorreu novamente ao Twitter para partilhar um vídeo onde dizia que se sinta melhor, embora continuasse a ter um dos principais sintomas da Covid-19. “Ainda tenho febre”, explicava.

No dia em que tornou pública a infeção pelo novo coronavírus, também o ministro da Saúde, Matt Hancock, anunciou que testou positivo para a doença com “sintomas ligeiros”.

Boris Johnson confirma que está infetado com coronavírus