Portugal tem agora um total de 11.730 casos confirmados de Covid-19, segundo o Relatório da Direção Geral da Saúde sobre a situação epidemiológica em Portugal desta segunda-feira, dia 6 de abril. Houve um aumento de 452 casos, num acréscimo percentual de 4%: é a subida mais baixa desde o acelerar da pandemia, ainda que esse dado possa estar relacionado com o facto de muita informação relativa ao fim de semana ainda não ter sido reportada.

Covid-19. Infeções confirmadas aceleram em Lisboa e Vale do Tejo, mas também Alentejo e Algarve

Já o número de mortes subiu de 295 para 311, um aumento de 16 vítimas mortais com especial incidência na região Norte, uma subida de 5,4% que leva a taxa de mortalidade global para os 2,7%. Alentejo, Açores e Madeira mantêm-se sem óbitos. De destacar o aumento exponencial de casos recuperados, um aumento de 86,7% face aos números da véspera: existem agora 140 casos recuperados de coronavírus em Portugal, mais 65 do que os 75 registados este domingo.

A análise do Relatório da Direção Geral da Saúde sobre a situação epidemiológica em Portugal desta segunda-feira, dia 6 de abril, pode ser feita através de vários pontos distintos, a saber:

Número total de casos, mortes e recuperados

Portugal registou o aumento percentual mais baixo de novos casos desde o acelerar da pandemia. A subida de 4%, que diz respeito a um número bruto de 452 casos, deve contudo estar relacionada com o facto de ser segunda-feira e de muita informação relativa ao fim de semana estar ainda por reportar: de resto, os números à segunda-feira são consistentemente mais baixos. Segundo o Relatório da Direção Geral de Saúde sobre a situação epidemiológica desta segunda-feira, dia 6 de abril, Portugal tem agora 11.730 casos confirmados e 311 vítimas mortais, mais 16 do que este domingo, um aumento de 5,4% que coloca a taxa de mortalidade nos 2,7%. De destacar ainda o aumento significativo de casos recuperados, um salto de 86,7%, de 75 para 140.

Caracterização dos óbitos

Novas 16 vítimas mortais todas acima dos 60 anos. Portugal mantém apenas 12 mortes com menos de 60 anos, o número que já se registava este domingo, já morreram quatro pessoas entre os 40 e os 49 anos (um homem e três mulheres) e oito entre os 50 e os 59 anos (seis homens e duas mulheres). O aumento do número de mortes verificado esta segunda-feira, na ordem dos 5,4%, regista-se então nas faixas etárias acima dos 60 anos. Morreram mais duas pessoas entre os 60 e os 69 anos (aumento de 7,4%), mais cinco entre os 70 e os 79 anos (aumento de 7,6%) e mais nove acima dos 80 anos (aumento de 4,7%).

Caracterização do número de casos por região

Alentejo, Açores e Madeira ainda sem óbitos. A região Norte continua a ser a mais fustigada pela pandemia em Portugal e foi também a que mais cresceu em termos de mortalidade. Registam-se agora 6.706 casos confirmados no Norte do país, mais 176 do que ontem (mais 2,7%), e 168 vítimas mortais, mais dez (mais 6,3%). Segue-se a região de Lisboa de Vale do Tejo, com 3.070 casos (mais 166, mais 5,8%) e 60 óbitos (mais dois, mais 3,4%), e depois o Centro, com 1.521 casos (mais 79, mais 5,5%) e 76 mortos (mais quatro, mais 5,6%). O Algarve tem agora 229 casos (mais 28, um aumento significativo de cerca de 14%) e mantém as mesmas sete vítimas mortais do fim de semana e o Alentejo continua sem registar qualquer óbito, tendo agora 84 casos confirmados (mais dois, mais 2,4%). Ambas as Regiões Autónomas também continuam sem mortos: os Açores têm agora 68 casos (mais um, mais 1,5%) e a Madeira mantém os 52 casos apresentados este domingo.

Número de países e casos importados

O boletim desta segunda-feira da DGS mantém os 43 países já indicados este domingo como origem dos casos importados registados em Portugal mas acrescenta mais três infetados: são agora 619 os casos importados. Os três novos casos são originários do Reino Unido, da Índia e da Argentina. Espanha continua a ser o país de onde Portugal importou mais casos (158), seguida de França (115) e Reino Unido (64). Destes 43 países, 19 registam apenas um caso de importação — Cabo Verde, Chile, Cuba, Dinamarca, Indonésia, Irão, Malta, Maldivas, Marrocos, México, Noruega, Paquistão, Polónia, Qatar, República Checa, Singapura, Suécia, Ucrânia e Venezuela.

Número de casos por grupo etário

Os casos acima dos 80 anos são agora 1.459. A maior concentração de casos mantém-se entre os 40 e os 59 anos, onde estão confirmados 4.229 casos positivos, cerca de cerca de 36% dos 11.730 globais no país. Existem 174 casos em crianças dos 0 aos 9 anos, mais 12 do que este domingo, e 1500 entre os 10 e os 29 anos, cerca de 12,8% do total de casos em Portugal.

Número de casos internados e nos cuidados intensivos

Mantém-se a tendência verificada nos últimos dias e que diz respeitos a ligeiros aumentos diários no número de casos hospitalizados e no número de pessoas internadas em unidades de cuidados intensivos. Existem agora 1.099 pessoas internadas, mais 15 do que este domingo (aumento de 1,4%), e 270 com necessidade de cuidados intensivos, mais três do que na véspera (aumento de 1,1%). Quer isto dizer que entre internados e pessoas nos cuidados intensivos, estão atualmente hospitalizados em Portugal 1.369 casos da Covid-19, cerca de 11,7% do total de infetados.

Número de casos suspeitos, não confirmados, em vigilância e a aguardar resultados

Num dado que também estará relacionado com o facto de este boletim dizer respeito a uma segunda-feira e de existir alguma informação relativa ao fim de semana que ainda não foi reportada, regista-se uma queda de 462 pessoas à espera do resultado do teste à Covid-19 — dos 4.962 indicados este domingo para os 4.500 indicados esta segunda-feira. 23.470 pessoas estão ainda sob vigilância das autoridades de saúde, mais 261 do que no boletim da véspera.

 Caracterização dos casos por género

Mais de 6.600 mulheres infetadas. Mantém-se a tendência de distribuição por género em Portugal, com as mulheres infetadas a serem agora 6.601 em números totais (56,3% do total de casos no país), quando este domingo eram 6.334. Em comparação, existem 5.129 homens infetados. As faixas etárias mais afetadas, tal como acontece nos valores que englobam os dois géneros, encontram-se entre os 40 e os 59 anos, onde 2.486 mulheres estão infetadas.

Número de casos por concelho

Lisboa continua a ser o concelho com mais casos: 699, mais 18 do que apresentado no boletim da véspera. Porto (689), Vila Nova de Gaia (518), Gondomar (489) e Maia (444) são os concelhos que se seguem. Além destes, existem já outros sete concelhos com mais de duas centenas de casos positivos: Coimbra (222), Santa Maria da Feira (224), Ovar (224), Sintra (278), Braga (358), Valongo (364) e Matosinhos (400).

Caracterização dos casos confirmados por sintomas

Tosse e febre continuam a ser os principais sintomas. Os sintomas apresentados entre os casos de testes positivos (com informação respeitante a 77% desses casos) mantêm-se praticamente inalterados em relação aos últimos dias, com maior preponderância de tosse (60%) e febre (46%), seguidas de dores musculares (32%) e cefaleias (28%, menos 1%). Fraqueza generalizada (24%, menos 1%) e dificuldades respiratórias (17%) são os sintomas com menor taxa de incidência.