“Os investidores vieram de fim de semana com vontade de investir e o sentimento de mercado melhorou significativamente”, diz a corretora XTB em Portugal, numa nota enviada esta manhã de segunda-feira aos investidores. É uma das várias notas de análise distribuídas pelos analistas onde se nota um maior otimismo, justificado por sinais de relativa estabilização na evolução da pandemia na Europa.

O índice pan-europeu Stoxx Europe 600 está a subir 2,9% para 318 pontos, mesmo num dia em que os preços do petróleo estão sob pressão devido à falta de perspetivas de um acordo entre os países da OPEP e a Rússia (para decidirem eventuais cortes da produção petrolífera que suporte os preços numa altura de forte quebra na procura). O preço dos contratos futuros do barril de Brent, negociado na ICE de Londres, caem 2,9% para 33,13 dólares e o Nymex baixa 2,6% para 27,62 dólares por barril.

Nas bolsas nacionais de ações, o FTSE 100 da bolsa de Londres está a valorizar-se em 2,2%, o CAC 40 de Paris ganha 3,7% e o DAX de Frankfurt avança 4,5%. Em Espanha, o IBEX 35 avança 3,3% mas o português PSI-20 subia bastante menos: 0,7%, penalizado por exemplo pelas ações dos CTT, que caem 0,5% depois de a empresa anunciar que não tenciona distribuir dividendo relativo ao ano passado.

Prevê-se, também, uma abertura positiva para as bolsas norte-americanas, apesar de os EUA se terem tornado o epicentro da pandemia a nível mundial. Os contratos futuros do índice S&P 500 e do Dow Jones Industrials ganham quase 4% a poucas horas da abertura.

“A taxa de morte tem diminuído na Itália, França e Espanha e o número de novos casos confirmados também está a diminuir”, afirma . No entanto, a corretora diz que “o número de dias não permite confirmar ainda uma reversão da tendência”, acrescentando que “dada a fragilidade dos fundamentos do sentimento atual do mercado, é provável que vejamos uma reversão do sentimento durante a semana”.