A Câmara de Vouzela anunciou esta segunda-feira que aprovou o seu plano de reação à pandemia Covid-19, que integra mais de 300 mil euros em medidas concretas de intervenção direta nas áreas social, económica e institucional.

O executivo aprovou mais de 30 medidas que dão prioridade ao apoio dirigido às famílias e às empresas, mas também às instituições de solidariedade social, à cultura e ao desporto, com entrada imediata em vigor”, refere o município, em comunicado.

Entre as medidas aprovadas estão a redução das tarifas no consumo de água, saneamento e resíduos, o reforço dos apoios às crianças e jovens no âmbito da educação e apoio ao estudo, a suspensão do pagamento das rendas habitacionais e o reforço das verbas de apoio social para compra de medicamentos e cabazes de alimentos.

No que respeita às empresas, o município decidiu suspender o pagamento das rendas comerciais, apoiar os encargos de estabelecimentos comerciais encerrados por imperativos legais, isentar de taxas de esplanadas e de publicidade, valorizar os órgãos de comunicação social locais e isentar de derrama todas as empresas com um volume de negócios igual ou inferior a 150 mil euros.

O município vai ainda reforçar o apoio aos bombeiros voluntários, distribuir equipamentos de proteção individual aos agentes de proteção civil e instituições ao serviço da comunidade e realizar testes de diagnóstico gratuitos aos colaboradores e utentes das instituições sociais.

“Trata-se de um esforço financeiro da autarquia para com a comunidade vouzelense. Temos a certeza de que estarão na linha da frente para o necessário e exigente trabalho de recuperação económica e social que todos teremos de enfrentar após o terrível momento que atravessamos”, considera o presidente da Câmara, Rui Ladeira.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 68 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito no domingo pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 295 mortes, mais 29 do que na véspera (+11%), e 11.278 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 754 em relação a sexta-feira (+7,2%). Dos infetados, 1.084 estão internados, 267 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 75 doentes que já recuperaram.