O governo italiano, liderado pelo primeiro-ministro Giuseppe Conte, comparece esta quarta-feira na câmara baixa do parlamento para uma sessão de perguntas a pretexto da pandemia de Covid-19, que já provocou mais de 17 mil mortos no país.

O país superou terça-feira as 17 mil mortes por causa do novo coronavírus, com o registo de 604 óbitos nas últimas 24 horas, indicaram as autoridades italianas, destacando que o número de contágios e de pessoas hospitalizadas está em decréscimo.

Com a atualização dos dados, Itália, um dos países mais afetados pela pandemia da Covid-19, totaliza 17.127 vítimas mortais desde o início da crise.

A Proteção Civil italiana destacou que o número diário de mortes foi menor do que no dia anterior (na segunda-feira tinham sido contabilizados 636 óbitos num dia).

Em termos globais, desde o diagnóstico do primeiro caso de Covid-19 de contaminação interna no país, em fevereiro, Itália contabiliza 135.586 casos, mais 3.039 em comparação com segunda-feira, número que indica que a tendência de um ligeiro abrandamento na propagação do vírus mantém-se.

Neste momento, os casos positivos ativos de infeção em Itália são 94.067, anunciou a mesma fonte.