A França vai reorientar a sua ajuda ao desenvolvimento no continente africano para a saúde e desafios alimentares, dedicando 1,2 mil milhões de euros para apoiar o combate à pandemia de Covid-19, anunciou o Governo francês.

A nível bilateral, nós vamos participar na reorientação de uma parte substancial da nossa ajuda ao desenvolvimento para os desafios ligados à saúde e à distribuição de alimentos com cerca de 1,2 mil milhões de euros”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros, Jean-Yves Le Drian, perante a Assembleia Nacional.

“As necessidades são imensas”, declarou o governante, apelando para o reforço dos sistemas de saúde nos países africanos e para a capacidade de investigação científica nesses territórios, assim como à solidariedade de outros países do G7 e do G20.

Le Drian sugeriu ainda a necessidade de instaurar uma ponte aérea com vários países africanos para transportar a ajuda necessária. França vai apoiar organizações no Senegal, Guiné Conacri, Burkina Faso e República Centro-Africana. O governante francês defendeu igualmente uma moratória nas taxas de juro nos empréstimos aos países africanos.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de 1,4 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 86 mil. Dos casos de infeção, cerca de 280 mil são considerados curados.

O número de mortes em África ultrapassou as 500 num universo de mais de 10.500 casos registados em 52 países, de acordo com a mais recente atualização dos dados da pandemia neste continente.