França já registou 10.869 mortes desde que a pandemia entrou no país, anunciou esta quarta-feira o diretor geral da saúde Jérôme Solomon. O país contabilizou mais 541 baixas nas últimas 24 horas, todas elas em hospitais. No total, são já 7.632 as pessoas que morreram em internamento.

Na conferência de imprensa, Jérôme Solomon esclareceu a contagem das fatalidades provocadas pelo novo coronavírus em França. Por causa de um “problema técnico”, as vítimas que morreram fora dos hospitais — em lares e casas de repouso — não estavam a entrar nos boletins. Até agora, já 3.237 pessoas perderam a vida nesses locais.

O número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus aumentou ligeiramente desde terça-feira. A contagem oficial regista 112.950 infetados, 3.881 nas últimas 24 horas. Na terça-feira, a Direção-Geral da Saúde em França tinha contado 3.777 novos casos nas 24 horas anteriores.

Neste momento, há 30.375 internadas por causa da infeção por SARS-CoV-2, mais 348 do que na terça-feira. Entre elas, 7.068 estão nos cuidados intensivos. No entanto, o diretor-geral da saúde avança que o aumento líquido do número de pacientes em cuidados intensivos é cada vez menos.

Nas contas das autoridades francesas, tendo em conta as altas saídas desse serviço, o número de pessoas internadas em cuidados intensivos de terça para quarta-feira aumentou apenas em 17. É uma contagem consideravelmente inferior à realizada nos últimos dias — na terça-feira era 59, na segunda-feira 94 e no domingo 140.