O Serviço Regional de Saúde da Madeira está a instalar prefabricados para aumentar a capacidade do serviço de Urgências do Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, anunciou esta quinta-feira o Serviço de Saúde da Madeira.

Esta instalação “tem como função aumentar a capacidade do serviço de urgência para fazer face à pandemia da Covid-19”, disse o diretor clínico do Serviço de Saúde da Madeira (Sesaram), Júlio Nóbrega.

Os prefabricados estão a ser instalados na zona das Urgências desta unidade hospitalar, visando que “todos os doentes que chegam, independentemente da doença que tenham, são rastreados”, servindo esta triagem para “melhorar a segurança dos outros doentes internados e dos profissionais de saúde”. O responsável salientou que a realização do teste demora “algumas horas” e que o doente acaba por “ficar à espera na Urgência”.

Por isso, o Sesaram teve de “aumentar a capacidade do serviço de Urgência para que os doentes permaneçam enquanto aguardam o resultado do rastreio para a doença Covid-19”. O médico sublinhou que foram analisadas “várias alternativas e a que pareceu mais facilmente exequível” foi a utilização de contentores habitáveis e climatizáveis.

Juntando [os contentores], estes formam como que uma enfermaria, respeitando sempre o distanciamento dos doentes, no sentido de impedir a transmissibilidade e melhorando as regras básicas de controlo da infeção”, explicou.

Júlio Nóbrega acrescentou que “aquele espaço vai funcionar em continuidade com o serviço de Urgência onde estão outros doentes”, sublinhando que esta acaba por ser uma forma de “aumentar a capacidade para alocar doentes”.

Parece-nos que é melhor que outras soluções, como as tendas”, visto que além de serem habitáveis, climatizáveis, também dispõem de “instalações sanitárias, lavatório, condições fundamentais para doentes que merecem segurança apesar de estarmos só a fazer o rastreio”.

Esta estrutura de acolhimento temporário deverá estar concluída nos próximos dias, assegura o Sesaram, permitindo o “acesso direto (sem passar pelo exterior) entre a Urgência e a nova área”.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 87 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito esta quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 409 mortes, mais 29 do que na véspera (+7,6%), e 13.956 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 815 em relação a quarta-feira (+6,2%).

De acordo com os dados do Instituto da Administração de Saúde (Iasaúde), a Madeira contabilizava 50 infetados na quarta-feira.