O Celta de Vigo chegou a um “acordo para a redução salarial” com treinadores e jogadores das equipas principal e B, em consequência da pandemia de Covid-19, anunciou esta quinta-feira o clube da liga espanhola de futebol.

O Celta, atuando com a máxima coerência e responsabilidade, deu um importante passo para enfrentar com maior segurança a possibilidade de a competição na liga não ser retomada”, informou o clube de Vigo, em comunicado.

Além de treinadores e futebolistas, a redução salarial vai também aplicar-se a outros funcionários do Celta de Vigo que aufiram vencimentos acima de um valor não revelado pelo clube, 17.ª classificado da liga espanhola, antes da suspensão da atividade.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 89 mil. Dos casos de infeção, mais de 312 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia, e o continente europeu é neste momento o mais atingido, com cerca de 787 mil infetados e de 62 mil mortos.

A Espanha é o segundo país com maior número de mortes, a seguir à Itália, registando 15.238 mortos, entre 152.446 casos de infeção confirmados até hoje.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde as 0h de 19 de março e até às 23h59 de 17 de abril, registaram-se 409 mortes e 13.956 casos de infeções confirmadas, segundo o balanço feito esta quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde.