O relatório da Comissão Europeia foi divulgado na quarta-feira e o eurodeputado do Bloco de Esquerda, José Gusmão, não gostou dos reparos feitos por Bruxelas em plena crise da pandemia e fez saber isso mesmo em publicações no Facebook e Twitter. “Já estão a construir a narrativa. Os factos não interessam nada”, escreveu o eurodeputado antes de se referir aos responsáveis da CE como “animais”.

Não interessa que a dívida tenha aumentado 31pp quando estes animais estiveram cá e que tenha diminuído 10pp quando a Geringonça desfez as parvoíces deles”, escreveu.

Publicação que foi alterada alguns minutos depois no Facebook

Em causa estão os relatórios dos avaliadores oficiais da Comissão Europeia que apontaram, no estudo sobre a 11.ª missão de avaliação do credor ao pós-programa de ajustamento de Portugal, quatro áreas em que o país já estava fragilizado, mesmo antes da influência e dos efeitos para a economia da chegada da pandemia da Covid-19: salários da função pública; pensões; despesa com saúde e, finalmente, os riscos para a estabilidade financeira — com especial enfoque para os novos créditos para compra de casa e consumo.

Contactado pelo Observador, o eurodeputado não quis fazer qualquer comentário ao post que, minutos depois de ser publicado, era alterado no Facebook, substituindo-se a expressão “estes animais” por “esta gente”. José Gusmão explicou o motivo dessa alteração no Twitter: “Um ativista dos direitos dos animais chamou a minha atenção para o uso depreciativo da palavra “animais”. Desde já me penitencio. Não volta a acontecer…”, ironiza o eurodeputado.